PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid-19: Surto atinge 104 alunos em internato e encerra aulas presenciais

Internato do Unasp em Engenheiro Coelho não foi fechado nenhum dia durante a pandemia - Divulgação
Internato do Unasp em Engenheiro Coelho não foi fechado nenhum dia durante a pandemia Imagem: Divulgação

Naian Lopes

Colaboração para o UOL, em Pereira Barreto (SP)

08/03/2021 16h26Atualizada em 10/03/2021 11h14

O campus do Unasp (Centro Universitário Adventista) na cidade de Engenheiro Coelho (SP), a 170 km de São Paulo, confirmou que 104 alunos que moram no local foram contaminados em um surto do novo coronavírus. Por isso, as aulas presenciais foram suspensas. Além disso, há funcionários que testaram positivo para a doença.

Segundo informações da própria instituição, o caso aconteceu depois que alunos que não moram no internato retornaram ao campus para as atividades presenciais, que foram retomadas no mês passado.

A reportagem apurou que o internato do Unasp em Engenheiro Coelho não foi fechado nenhum dia, mesmo nos períodos mais rígidos da pandemia, porque os alunos moram no local e, por serem de outras regiões e de grupo com vulnerabilidade social, não teria como voltarem para casa.

O surto foi constatado nos últimos dias, e exames laboratoriais indicaram que 104 alunos estão com coronavírus, todos moradores do internato. A direção do Unasp informou que eles foram enviados para isolamento dentro do próprio campus e irão cumprir o período de recuperação sem contato com outros alunos ou funcionários.

Para atender a demanda de alunos contaminados, a instituição firmou parceria com dois hospitais da região, além de equipe médica, de enfermagem, técnicos e testagem em massa que ocorrerão nos próximos dias. A intenção é verificar se há outros casos entre os alunos.

Ao UOL, o Unasp informou que os pacientes estão todos em isolamento domiciliar no campus e que nenhum precisou ser internado. Além disso, a maioria está assintomática. Os que estão com sintomas apresentam casos leves, como tosse e dor de cabeça.

A unidade informou também que as autoridades públicas foram informadas sobre o surto no colégio e que os familiares de todos os alunos já estão cientes do caso e acompanham a evolução clínica dos pacientes. A Vigilância Sanitária não deverá fechar o campus por ser o único local de moradia dos estudantes, mas afirmou que monitora o caso.

A reportagem teve acesso a uma nota que o Unasp enviou aos pais de alunos explicando o caso, e afirmando contar "com a consultoria médica da diretoria clínica do Hospital Adventista de São Paulo, para confirmarmos os procedimentos mais adequados do ponto de vista de saúde".

Ainda no documento, a entidade garante que disponibilizou quatro médicos exclusivamente para acompanhar os alunos, além de ter suspendido as aulas presenciais de todos os cursos do campus.

O Unasp explica ainda, em nota aos pais, que restringiu o acesso ao campus, adotando o home office aos funcionários e "para todos os colaboradores que não estejam envolvidos na prestação direta de serviços essenciais aos alunos residentes".

A nota também garante que os cultos na igreja foram suspensos e que os alunos estão isolados fora dos residenciais, sendo monitorados. Por fim, revela que houve colaboradores contaminados, mas não quis informar a quantidade nem o estado de saúde.

Coronavírus