PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
8 meses

'Não peguei em rolezinho', disse estagiária antes de morrer de covid-19

Estagiária de enfermagem que morreu de covid-19 usou o Instagram para tentar alertar seguidores - Divulgação/Arquivo pessoal
Estagiária de enfermagem que morreu de covid-19 usou o Instagram para tentar alertar seguidores Imagem: Divulgação/Arquivo pessoal

Jean Sfakianakis

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/04/2021 11h29

Antes de morrer por complicações relacionadas à covid-19, no sábado (27), a estagiária de enfermagem Natália Rodrigues, de 24 anos, postou uma foto nas redes sociais alertando sobre os riscos da doença. "Não peguei indo pra rolezinho, não", escreveu a jovem antes de ser intubada.

Natália tomou uma dose da vacina contra o coronavírus um dia antes de começar a sentir sintomas leves — é preciso tomar as duas doses e aguardar para que o corpo tenha anticorpos o suficiente para combater o coronavírus. Mas dores que sentia no ouvido e a mudança de clima fizeram com que a garota confundisse os sintomas de covid com outras sensações. A jovem foi internada na Unidade Pré-Hospitalar de Sorocaba dia 12 de março, e chegou a apresentar melhoras no quadro antes de ser intubada e não resistir à doença.

Apenas quatro dias mais nova que o namorado Aaron Fabrício Pacheco da Silva, Natália usou as redes sociais para desabafar sobre sua internação. Falou do medo que de sentir mais falta de ar e avisou que não pegou a doença em rolê, além de alertar para a gravidade da covid-19.

"Todos os dias eu rezo e peço para que não me falte ar, que eu não vá para a UTI, que eu não precise ser intubada. Peço todos os dias para que eu consiga respirar sem precisar de suporte, meus braços já estão doloridos com tanto medicamente sendo administrado e acessos perdidos, exame de gasometria insuportável", escreveu Natália.

Casal namorava há um ano e meio, mas amizade já durava 10 anos - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Casal namorava há um ano e meio, mas amizade já durava 10 anos
Imagem: Reprodução/Facebook

"Já são 10 dias com essa doença traiçoeira e o desespero me consome, pessoas morrendo ao meu lado e eu só rezo e peço para que tudo fique bem. Não peguei indo pra rolezinho não, até porque sempre tive noção do quão insuportável era conviver com essa m****, não é brincadeira... levem a sério! A saúde do Brasil 'tá' um caos, por favor respeitem todos os decretos!", pediu.

Natália não soube exatamente onde pegou a doença, mas desconfiava que suas idas ao hospital para acompanhar o pai em exames renais podem ter sido a fonte para a contaminação.

Ao UOL, Aaron, que namorava Natália havia um ano de meio e convivia com ela havia 10 anos após uma paixão platônica surgida na adolescência, diz que via brilho nos olhos da parceira quando ouvia suas aventuras no estágio de enfermagem.

"Ela sempre se importou com todo mundo, dizia 'amor não tenha rancor, não tenha ódio das pessoas', toda vez que podíamos fazer uma caridade, nós fazíamos, Sempre ajudou as pessoas, desde dinheiro até a profissão, era muito boa pessoa, e toda vez que ela ia para o estágio ela ia feliz, contente, contava as novidades, o que ela aprendeu, chegou até a dar vacina em uma criança, que deu um sorriso em vez de chorar", relatou Aaron, que guardou na memória a história vivida pela ex-companheira.

O jovem também testou positivo para a doença, mas não teve sintomas graves e se recupera em casa.

"Ela sempre amou e cada vez mais ficava mais fortalecida, não fazia por obrigação, não ficava de saco cheio, ela foi muito feliz nisso, tinha mais certeza a cada dia que viveria disso. Era uma pessoa sensacional. O olhar dela brilhava", disse o estudante do curso de Administração.

Pai com covid-19

De acordo com a família, Natália era muito ligada à mãe e principalmente ao pai, que sofre de problemas renais. A jovem era a responsável por acompanhá-lo em consultas médicas.

No dia 15, momentos antes de ser intubada, a jovem soube que o pai também estava infectado com covid-19 e havia sido internado.

A mãe de Natália também foi infectada com o coronavírus, mas não precisou de internação.

Covid-19 em Sorocaba (SP)

O último boletim epidemiológico emitido ontem pela Prefeitura de Sorocaba (SP), mostra registro de 43.700 casos confirmados de covid-19, 1.114 óbitos e 41.782 recuperações.

Coronavírus