PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Médica é resgatada em ribanceira cerca de 30 horas após se acidentar em SC

Mariana Fossati sofreu acidente enquanto viajava para plantão médico  - Divulgação/Bombeiros Militares de SC
Mariana Fossati sofreu acidente enquanto viajava para plantão médico Imagem: Divulgação/Bombeiros Militares de SC

Luan Martendal

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

19/04/2021 15h49Atualizada em 20/04/2021 14h47

A médica catarinense Mariana Fossatti, de 30 anos, foi resgatada na manhã de hoje após ficar quase 30 horas desaparecida ao sofrer um acidente em São Cristóvão do Sul, a 290 quilômetros de Florianópolis.

Segundo os bombeiros, o carro da mulher caiu em uma ribanceira na manhã de ontem, no meio do trajeto que leva cerca de 1 hora. Ela saiu de casa por volta das 4h50 da manhã para ir a um plantão na cidade de Taió, a 91 quilômetros de Curitibanos, onde ela mora.

Os familiares informaram as autoridades sobre o desaparecimento apenas no final da tarde, quando foram contatados por funcionários do Hospital e Maternidade Dona Lisette sobre a falta de Mariana.

Foram cerca de 10 horas de busca, interrompidas pela madrugada, até que a jovem fosse resgatada, por volta das 10h30, às margens da BR-470.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Curitibanos e Pouso Redondo, as buscas foram iniciadas a partir do último ponto de GPS do aparelho celular da vítima, mas o que realmente ajudou a encontrá-la foi a informação de um caminhoneiro, que avistou o carro da jovem na rodovia.

Mariana era esperada às 17h de ontem em hospital de SC; sem sinal da médica, família avisou bombeiros - Reprodução/Arquivo Pessoal - Reprodução/Arquivo Pessoal
Mariana era esperada às 17h de ontem em hospital de SC; sem sinal da médica, família avisou bombeiros
Imagem: Reprodução/Arquivo Pessoal

O motorista passava pelas proximidades da Serra dos Pires, conhecida como a Serra da Santa — quando avistou o veículo acidentado (um Hyundai Creta) em um local de difícil acesso e acionou o resgate.

Os bombeiros deram início ao atendimento da vítima ainda no local e informaram que Mariana estava consciente e apresentava apenas escoriações pelo corpo.

Depois da realização dos primeiros socorros, a mulher foi conduzida de ambulância para o Hospital Hélio dos Anjos, em Curitibanos, onde passou por avaliação médica.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado antes, a médica não ficou 10 horas desaparecida, e sim 30; apenas as operações de busca levaram 10 horas

Cotidiano