PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

'Que brincadeira é essa?': Amiga questionou suspeito de matar jovem

Corpo de Patrícia Gomes, de 22 anos, foi encontrado ontem; último contato da jovem com a família foi no domingo (25) - Reprodução/Instagram
Corpo de Patrícia Gomes, de 22 anos, foi encontrado ontem; último contato da jovem com a família foi no domingo (25) Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL

29/04/2021 14h05

O suspeito de matar Patrícia Roberta Gomes da Silva, de 22 anos, chegou a ser interpelado por uma amiga da jovem nos dois dias em que esteve desaparecida. Ela foi vista pela última vez no último domingo (25), quando viajou de Caruaru, em Pernambuco, para a capital paraibana, onde visitaria um colega de escola que foi preso. O corpo dela foi encontrado na última terça-feira (27), mesmo dia da prisão.

"Natan, que brincadeira é essa? Cadê Patrícia?", questionou a jovem para o suspeito, Jonathan Henrique Santos, em mensagem encaminhada pelo Instagram obtida pela TV Asa Branca, afiliada da Globo em Pernambuco. Ele era amigo da vítima há dez anos.

Após ser questionado, o suspeito afirmou que havia falado com a mãe de Patrícia. "Soube essa manhã [do desaparecimento], também estou preocupado com ela", disse Jonathan Henrique.

A amiga da jovem, que não quis se identificar, mandou dois áudios para o suspeito e pediu informações. "Tu viu se ela pegou algum Uber ou algum carro? Me fala por favor. Está todo mundo louco aqui". Em seguida, ela pede para manter contato com ele pelo whatapp. O suspeito relata que estaria preocupado com o desaparecimento.

"Eu também estou. Loguei e vi logo me mandarem (sic) as fotos. Estou sem (as fotos). Por isso demorei a ver tudo, meu celular quebrou", disse o suspeito na troca de mensagens.

Polícia suspeita de ritual

As autoridades suspeitam que Patrícia foi assassinada em um "ritual" e que o crime foi premeditado. A Polícia Civil informou que foi encontrado no apartamento do investigado um livro de magia negra e uma espécie de altar, que levou à teoria de que Patrícia foi assassinada durante uma espécie de ritual.

"Além disso, havia uma lista com o nome de 22 mulheres, entre eles estava o de Patrícia, o que leva a polícia a acreditar que o crime foi premeditado", informou a PCPB, em nota.

Segundo delegada Emília Ferraz, responsável pelo caso, o suspeito vai responder por feminicídio e ocultação de cadáver. Já um amigo do rapaz, identificado como Marcos Mendes, vai responder por favorecimento da prática do crime depois que foi flagrado ajudando ao suspeito, que já era procurado.

Os agentes localizaram Santos depois que Marcos foi até o apartamento do suspeito, na zona sul da capital, pegar alguns pertences para ele. "Os policiais criaram o argumento de que precisariam levar Marcos até a sua casa e quando chegaram lá, no bairro de Mangabeira, encontraram a moto de Jonathan e o próprio criminoso, que ainda tentou fugir, mas foi preso em flagrante", relatou o tenente-coronel Marcos Barros, comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar.

Cotidiano