PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
9 meses

Três crianças morrem em incêndio em SC; foi um acidente, diz PM

Crianças morrem em incêndio em casa, em SC - Noticianoato/Jatir Fernandes
Crianças morrem em incêndio em casa, em SC Imagem: Noticianoato/Jatir Fernandes

Luan Martendal

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

01/05/2021 19h15Atualizada em 01/05/2021 22h37

O sentimento de tristeza tomou conta dos moradores de Lages, na serra catarinense, após três crianças morrerem em um incêndio hoje, 1, na casa onde elas moravam. Os mortos — dois meninos e uma menina — tinham três, cinco e oito anos de idade e eram irmãos. Os pais das vítimas e outros cinco filhos do casal, que também estavam no imóvel no momento da ocorrência, conseguiram se salvar.

O acidente aconteceu por volta das 12 horas em uma casa mista localizada ao fundo de outra residência, no bairro Centenário. A Polícia Militar (PM) esteve no local e, segundo a soldada Regiane Varela, não houve nenhum indício de crime na residência.

"Ao que tudo indica o incêndio foi acidental. A PM lavrou o Boletim de Ocorrência, mas deixou aos cuidados do Corpo de Bombeiros a apuração do que de fato aconteceu", afirmou.

Ao que tudo indica o incêndio foi acidental, diz PM - Noticianoato/Jatir Fernandes - Noticianoato/Jatir Fernandes
Ao que tudo indica o incêndio foi acidental, diz PM
Imagem: Noticianoato/Jatir Fernandes

A Polícia Militar também conversou com a mãe das crianças. Segundo relato, ela, o marido e os oito filhos estavam na casa quando um dos filhos pequenos estava brincando e teria pego um isqueiro na mão. Sem saber do perigo, a criança ateou fogo em algumas roupas de cama que estavam próximas da porta da casa.

"O fogo se espalhou pela residência e o casal não conseguiu retirar todos os filhos do interior da casa em virtude do fogo se alastrar rapidamente", informou a polícia.
O 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina ainda não se pronunciou oficialmente sobre a ocorrência e destacou que, durante a tarde de hoje, fez a perícia na residência. Os corpos das três vítimas foram recolhidos pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) de Lages.

A comoção pela morte dos irmãos catarinenses foi mencionada pelo governador afastado de Santa Catarina, Carlos Moises da Silva, nas redes sociais. "Recebo com muita tristeza a notícia da morte de três crianças durante incêndio em uma casa, na cidade de Lages. Deixo meu profundo pesar e meus sentimentos aos familiares. Permaneço em oração por todos", escreveu.

Incêndio também destruiu casa vizinha

Casa queimada em Lages, SC: construção de madeira dificultou ação dos Bombeiros - 5°BBM/SC - 5°BBM/SC
Casa queimada em Lages, SC. Três crianças morreram.
Imagem: 5°BBM/SC

Conforme o Corpo de Bombeiros, a casa atingida pelo fogo tinha 60 metros quadrados e possuía dois pavimentos, sendo o térreo em alvenaria e os cômodos superiores em madeira. As vítimas que não conseguiram ser resgatadas com vida estavam em um quarto no segundo andar.

Os bombeiros afirmam que foram montadas duas linhas de combate ao incêndio, uma delas para o combate mais agressivo às chamas que bloqueavam o acesso às vítimas. A outra, para resfriar duas propriedades vizinhas que já estavam sendo carbonizadas pela irradiação e pelo calor.

"O pavimento superior da residência, por ser de madeira, estava tomado pelas chamas, o que inviabilizou a progressão dos bombeiros pelo interior da edificação, visto que o piso de madeira tinha risco de colapso. Assim, os combatentes conseguiram progredir até a escada de acesso ao pavimento superior e dali combateram as chamas", destacou, em nota, o 5° BBM.

Após conseguirem controlar o fogo foram encontrados os corpos dos dois meninos, de três e oito anos, e da menina, de cinco. Ainda segundo os bombeiros, no mesmo terreno, o fogo atingiu outra edificação a menos de um metro de distância, onde residiam três pessoas, que não se feriram. Essa segunda casa de madeira possuía 30 metros quadrados e também ficou completamente danificada. Outros dois imóveis construídos em madeira e localizados próximos de onde o fogo começou foram salvos.

O Instituto Geral de Perícias informou que a identificar os corpos de cada uma das vítimas vai demorar porque será necessária a realização de exames complementares.

Cotidiano