PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher simula pedido de açaí para denunciar à polícia violência em casa

Vítima de agressão simulou pedido de açaí para denunciar ex-companheiro - Reprodução/RBS
Vítima de agressão simulou pedido de açaí para denunciar ex-companheiro Imagem: Reprodução/RBS

Do UOL, em São Paulo

11/06/2021 21h37

Uma mulher simulou um pedido de açaí para a Brigada Militar do Rio Grande do Sul para denunciar que era vítima de violência em casa. O caso aconteceu em Porto Alegre no último sábado (5) e foi divulgada hoje pela RBS, afiliada da Globo.

De acordo com a TV, a mulher, que mora na zona leste da capital gaúcha, telefonou para a polícia por volta das 7h da manhã pedindo por um açaí. O que parecia engano, na verdade, era um pedido de socorro.

"No momento que a pessoa ligou pedindo um açaí eu relatei que era da Brigada Militar o telefone e no momento que ela falou que tinha conhecimento que era da corporação. Eu questionei se ela estava sendo agredida e nesse momento ela confirmou: 'Sim, eu quero um açaí", contou o soldado Danilo Garcia à TV.

"Após pegar o endereço dela, ela estava no telefone, tinha alguém próximo dela e deu para ver que eles entraram em atrito e isso confirmou que era um pedido de socorro."

No áudio, divulgado pela RBS, o soldado questiona a emergência para a vítima. "Queria um açaí", diz a mulher. "Não entendi", responde o atendente. "Ah, eu queria um açaí", responde a mulher.

O soldado então informa que a mulher ligou para a Brigada Militar, ao que ela contesta: "Eu sei, eu sei...".

Em seguida, o soldado questiona: "Mas tá ocorrendo alguma coisa aí, senhora?". A mulher insiste no pedido de açaí e o atendente questiona se ela estaria sendo agredida. "Sim, eu queria um açaí moço?", diz a vítima.

O atendente então afirma que vai informar ao batalhão e a mulher consente.

O homem denunciado foi preso por agressão no mesmo dia, mas acabou sendo liberado. Entretanto, a vítima agora possui uma medida protetiva contra o ex-companheiro. Ele já havia sido histórico por agredir uma ex-namorada.

Pedido de Pizza

Em maio, uma mulher moradora de Andradina, no interior de São Paulo, também denunciou que era vítima de violência ao telefonar para a Polícia Militar e simular um pedido de pizza.

Segundo o boletim de ocorrência, o suspeito, um homem de 57 anos, fugiu assim que viu a viatura se aproximando, e a mulher, que havia ligado pela pizza, denunciou que estava sofrendo agressões físicas e psicológicas nas mãos do marido.

Cotidiano