PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
9 meses

Família com casal e três crianças está desaparecida desde domingo, no RJ

Família com casal e três crianças desaparecem no Rio de Janeiro - Arquivo pessoal
Família com casal e três crianças desaparecem no Rio de Janeiro Imagem: Arquivo pessoal

Daniele Dutra

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

13/08/2021 04h00

Uma família de Rio das Pedras, zona oeste do Rio, desapareceu na manhã do último domingo. Israel Pereira Torres, 35, a esposa, Adriana Araújo Torres, 36 e os filhos David Araujo Torres, 5, Kalel Araújo Torres, 3, e Lavínia Araújo Torres, de um ano e meio, eram esperados num almoço de dia dos pais, mas não chegaram ao local, não deram explicações e não foram mais vistos desde então.

O grupo foi visto pela última vez por uma vizinha. O caso está sendo investigado pela DDPA (Delegacia de Descoberta de Paradeiros), mas até agora nem sinal dos cinco.

Israel trabalha como porteiro há 10 anos em um prédio em Jacarepaguá, zona oeste da cidade, e a última imagem registrada por câmeras de segurança, mostra-o saindo do condomínio na manhã de domingo (8). Desde então, ele não compareceu ao trabalho. Os parentes só tiveram noção do desaparecimento da família na noite seguinte, quando uma pessoa do trabalho ligou para Jeane Torres, perguntando se estava tudo bem com o irmão dela, já que ele não tinha avisado que faltaria o serviço.

Assim que desligou o telefone, Jeane foi até a residência da família ver se estava tudo bem, já que o telefone dele dava caixa postal e o dela nem chamava. A casa estava vazia e com as luzes apagadas. Ela chegou a ir à casa dos pais de Adriana, mas eles também não sabiam do paradeiro do casal e das crianças.

"Chamei o Israel e a família no grupo de whatsapp para o almoço de dia dos pais. Como ele trabalhou no sábado à noite, disse que iria chegar mais tarde, por volta das 15h, para descansar um pouco. Como ele já faltou outras vezes, ficamos tranquilos. Já houve situações dele faltar no domingo e aparecer na segunda. Mas quando recebemos a ligação do trabalho, ficamos preocupados. Ele não é de faltar, sempre foi muito responsável com essas coisas", contou Jeane Torres, irmã de Israel em entrevista ao UOL.

A mãe de Adriana mandou mensagem para a filha dizendo que havia mandado feliz dia dos pais para Israel, mas ele não estava respondendo. Em um áudio, a dona de casa respondeu: "Oi mãe, a senhora deve ter mandado para o número errado. O Israel não está recebendo mensagem por esse telefone. Mas está tudo bem com a gente, fica tranquila. Só está muito frio". A mensagem foi enviada por volta das sete horas da manhã na última segunda. Esse foi o último contato feito com qualquer parente.

Na terça-feira (10), Jeanne voltou à casa da família, mas nenhum sinal. Eles entravam na casa e aparentemente estava tudo normal, sem louça suja, algumas maçãs na pia, uma panela com sopa no fogão, mas nenhum sinal de arrombamento ou fuga. A única coisa que eles estranharam foi que o documento das crianças, a bolsa do bebê e a identidade do casal não estavam lá.

A família é do Ceará, mas o casal chegou na região de Rio das Pedras quando ambos ainda eram crianças. Os parentes contam que eles são tranquilos, discretos, cuidadosos entre eles e evangélicos, mas, devido à pandemia, não estavam indo à igreja. A casa onde seria o almoço de domingo fica a 10 minutos de caminhada e, como eles não têm carro, nem moto, iriam a pé.

Desde que deram conta do desaparecimento da família, os irmãos de Israel foram até a DDPA (Delegacia de Descoberta de Paradeiros) fazer um boletim de ocorrência. Segundo Jeane, a polícia fez uma busca com o nome deles em hospitais e IML (Instituto Médico Legal), mas não encontrou nada.

"Eles nunca tiveram problema com ninguém, sempre foram responsáveis e cuidadosos com os filhos. Se eles tinham algum problema, ficou entre os dois. Nós perdemos a nossa mãe no dia 27 de julho e agora, em meio ao luto, estamos passando por isso. Isso é surreal e não tem muita coisa pra gente fazer. A polícia fez uma busca em hospitais, IML, mas não acharam nada. Não faço ideia do que pode ter acontecido, mas é tudo muito estranho. Largaram escola das crianças, um trabalho de 10 anos... isso não é perfil deles. A impressão que dá é que eles fugiram. Mas de quê? De quem?", desabafou a irmã de Israel".

O UOL solicitou mais informações sobre as buscas à Polícia Civil, mas ainda não obteve retorno.

Cotidiano