PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

Falso flanelinha que ostentava vida de luxo nas redes é preso no DF

Polícia Civil apreendeu dois papagaios, arma de fogo e dinheiro na casa do "falso flanelinha" - Reprodução/ Polícia Civil do DF
Polícia Civil apreendeu dois papagaios, arma de fogo e dinheiro na casa do "falso flanelinha" Imagem: Reprodução/ Polícia Civil do DF

Do UOL, em São Paulo

13/08/2021 21h07Atualizada em 14/08/2021 11h07

Um homem de 40 anos que se passava por flanelinha, com direito ao uso de roupas velhas em público, para não ser notado pela polícia, foi preso ontem, em Brasília, na Operação Fake Life (vida falsa, em tradução livre), da Polícia Civil, pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, com numeração suprimida, e crime ambiental.

Apesar de fingir uma vida simples para não chamar atenção, nas redes sociais, ele mostrava suas posses, que incluem carros e jet-ski.

O preso também foi apontado pelas investigações como traficante de drogas e intermediador na venda de armas de fogo a moradores de cidades do estado de Goiás, que ficam no entorno do DF.

O mandado de busca e apreensão na residência do autuado apreendeu um revólver calibre 22 carregado com seis munições intactas, quantidade considerável de dinheiro e dois papagaios-verdadeiros.

"As investigações, que se iniciaram há seis meses, apontaram que o autuado comercializava drogas na região central de Brasília, especialmente no Setor Comercial Sul. Para não ser notado, ele se passava por flanelinha", informou, em comunicado, a Polícia Civil. O homem não teve o nome revelado pela instituição e não houve indicação do motivo de ele não responder também pelo crime de tráfico.

Os policiais constataram que o suspeito possuía diversos automóveis como uma caminhonete S10, um Fiat Toro e um Onix, avaliados em R$ 150 mil. Ele utilizava esses veículos para ir ao Setor Comercial Sul de Brasília e estacionava o carro longe de onde atuava como flanelinha.

"Durante o período que simulava que estava trabalhando como 'flanelinha', o autuado costumava usar roupas velhas", diz o informe oficial. Nas redes sociais, o homem ostentava uma vida de luxo, em festas com bebidas de alto valor e fazendo uso de motos bem avaliadas e jet-ski.

Cotidiano