PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Cartões de vacinação são roubados no RJ após exigência de comprovação

Vacinação de reforço (3ª dose) contra a Covid-19 na quadra da Grande Rio no Rio de Janeiro (RJ), neste sábado (18 - SANDRA BARROS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Vacinação de reforço (3ª dose) contra a Covid-19 na quadra da Grande Rio no Rio de Janeiro (RJ), neste sábado (18 Imagem: SANDRA BARROS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

18/09/2021 17h31

Cartões de vacinação estão sendo roubados no Rio de Janeiro após a exigência do passaporte de vacinação, instituído em 1º de setembro. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os casos, de número não divulgado, já estão sendo investigados pela Polícia Civil.

A prefeitura informa ainda que os cartões sem assinatura e registro dos agentes de saúde não serão válidos para entrar nos locais. A pasta diz estar alterando o protocolo de atendimento nas últimas semanas.

"Os pontos de vacinação reformularam os fluxos de atendimento nas últimas semanas, a fim de impedir a ocorrência de qualquer tentativa de subtração dos comprovantes sem a devida vacinação", declarou a secretaria, em resposta ao UOL.

A reportagem procurou ainda a ISP (Instituto de Segurança Pública) do Rio de Janeiro para saber quantos roubos foram confirmados, mas não teve resposta até a última atualização.

"Nos casos em que os usuários conseguiram levar o comprovante irregularmente, foram registrados boletins de ocorrência junto à Polícia Civil, em que os dados de identificação dos acusados foram informados à autoridade policial", diz a secretaria.

O passaporte de vacinação na capital fluminense começou a valer a partir do dia 1º de setembro. Para acessar o interior de alguns estabelecimentos, realizar de cirurgias eletivas e inclusão ou seguir no programa Família Carioca, de transferência de renda, é preciso comprovar que está com o sistema vacinal em dia.

Veja a lista completa:

  • Academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e de condicionamento físico e clubes sociais;
  • Vilas olímpicas, estádios e ginásios esportivos;
  • Cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação;
  • Atividades de entretenimento, exceto quando expressamente vedadas;
  • Locais de visitação turísticas, museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in;
  • Conferências, convenções e feiras comerciais.

A secretaria informa, no entanto, que o comprovante só é válido com a identificação e assinatura do agente de saúde, que são incluídos após a aplicação da vacina.

"Sem o preenchimento completo e correto, o documento é considerado adulterado. Quem subtrai e usa documentos de vacinação adulterados está sujeito às penalidades legais e criminais", conclui a pasta.

Cotidiano