PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Pai canta última música de Henry, e Monique chora abraçada a defensor

Igor Mello e Lola Ferreira

Do UOL, no Rio

06/10/2021 20h05

Os pais do menino Henry choraram ao mesmo tempo na audiência que apura os culpados da morte da criança. Leniel Borel emocionou a ex-companheira ao relatar os últimos momentos do menino.

A mãe, Monique Medeiros, é ré no processo por homicídio triplamente qualificado junto ao padrasto da criança, o ex-vereador do Rio Dr. Jairinho (sem partido). Como testemunha de acusação, Leniel prestou depoimento por mais de três horas na noite de quarta-feira (6).

Leniel relatou que, poucos dias antes da morte, ao colocar o menino para dormir, ouviu da criança uma música católica.

Enquanto repetia os versos "Mãezinha do céu, eu não sei rezar / Quero dizer que quero te amar / Azul é seu manto, branco é seu véu / Mãezinha, eu quero te ver lá no céu", Leniel se emocionou ao lembrar que também teve formação católica.

Neste momento, Monique começou a chorar copiosamente, abraçou o advogado Hugo Novais e precisou de um lenço para se recompor. Leniel também se emocionou.

Antes, Monique olhou Leniel pela primeira vez quando o pai do menino relatou que, dias antes da morte, Henry afirmou que "mamãe é má", em resposta a uma tentativa do pai de convencê-lo a voltar para a casa da mãe. Monique mostrou-se indignada com a afirmação e, a partir daí, passou a ouvir o depoimento do ex-marido olhando para ele.

O pai de Henry também relatou o momento em que a criança foi entregue à mãe, horas antes de morrer.

De acordo com o depoimento, Henry afirmou que não queria ir para a casa de Monique. Leniel relatou ter dito novamente: "Vai com a mamãe, mamãe é boa". Ao ouvir esse diálogo, Monique fechou os olhos e continuou a chorar.