PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Condutor é empurrado para fora de balsa após briga por uso de máscara; veja

Do UOL, em São Paulo

24/01/2022 20h18Atualizada em 25/01/2022 14h11

Um barqueiro foi empurrado para fora do próprio veículo ontem à tarde após um passageiro questionar o uso da máscara contra a covid-19 no transporte. O caso ocorreu por volta das 13h em uma balsa no canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Paulo Henrique Santos de Souza, de 27 anos, trabalha há anos como condutor de balsas para uma empresa terceirizada contratada pela associação de moradores da região. Ao UOL, ele contou que o morador, já estava questionando o uso da máscara desde o início da semana passada.

"Esse morador já tinha atravessado comigo cedo. Ele já havia tido uma conversa antes de ficar questionando o uso da máscara. No decorrer da semana, ele jogava indiretas sobre o assunto, não diretamente para mim, mas querendo provocar em relação à obrigatoriedade da máscara no transporte. Eu não entrei no jogo dele", afirmou Paulo.

No domingo, no entanto, o questionamento virou agressão. "Ele veio perguntar qual era a necessidade do uso da máscara no barco e abaixou ela para fazer a pergunta. Eu falei: 'O vírus está aí. Eu só estou cumprindo ordens'."

O morador, por sua vez, ficou insatisfeito com a resposta e voltou a insistir no questionamento.

Ele foi e perguntou de novo e eu respondi que era ordem da administração. Então ele levantou e foi até o console questionar o uso da máscara e eu disse que tinha comunicados sobre a obrigatoriedade em toda a balsa. Falei para ele que, se quisesse, poderia levar a sugestão à administração. Então ele me empurrou. Eu tentei me levantar, mas ele me pegou pela perna e me jogou no canal. Eu ia cair em cima do motor, mas consegui me virar para o outro lado.

Paulo conta que, após a queda, teve ferimentos no braço e na perna. Ele tentou novamente subir na balsa, mas quando colocou a mão no barco, o passageiro tentou chutar o rosto dele. Então, Paulo nadou até a balsa de um amigo, que gravou a cena. "Ele pegou o meu barco e levou até o píer. Eu não sei nem se ele tem a carteira que permite ele conduzir esse tipo de veículo."

O barqueiro ainda afirma que foi provocado pelo morador, que o chamou para brigar após o desembarque, e depois sumiu. Paulo foi até o hospital Lourenço Jorge para receber atendimento médico após o ocorrido.

Segundo Paulo, na segunda-feira passada (17), o morador já havia questionado o chefe da administração das balsas sobre o uso de máscaras. Ele disse que é recorrente que as pessoas tentem embarcar utilizando apenas camisetas no rosto e que discussões sobre a obrigatoriedade da utilização do protetor facial ocorrem com frequência. "Mas nunca ao ponto de agressão. Essa foi a primeira vez", diz ele.

Com a ajuda de outros moradores, o barqueiro conseguiu identificar o homem e fez um registro de boletim de ocorrência na 16ª DP (Barra da TIjuca), além de ter realizado hoje exames de corpo delito no IML (Instituto Médico Legal).

Paulo ainda afirma que a relação com os moradores da região sempre foi agradável e que, devido aos anos de trabalho no canal, ele já é bem conhecido na região.

Segundo a Prefeitura do Rio de Janeiro, apenas neste ano já foram confirmados 144.180 casos de covid-19 na cidade e 81 óbitos em decorrência da doença. O uso de máscaras é obrigatório em locais fechados e em transportes públicos.

O UOL entrou em contato com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que informou que o morador responderá pelos crimes de direção perigosa de veículo e lesão corporal. "Todas as partes e testemunhas foram ouvidas pelos agentes. O procedimento será encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim)", diz comunicado.

Cotidiano