PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Chuva persistente e volumosa: Sul e Sudeste enfrentam virada no tempo

Grande São Paulo está entre as regiões com previsão de mais chuva até o final do mês - Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Grande São Paulo está entre as regiões com previsão de mais chuva até o final do mês Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

28/01/2022 10h02Atualizada em 28/01/2022 10h02

O encontro entre uma massa de ar quente e úmida vinda do Norte e um sistema de baixa pressão na costa de São Paulo provoca a partir de hoje uma virada no tempo em estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, com previsão de um grande volume de chuva depois de dias de calor intenso e tempestades isoladas.

Sul e sudeste de São Paulo e o leste do Paraná já devem acumular mais de 150 mm de precipitação apenas entre a noite de ontem e a noite de hoje, afetados por uma massa de ar quente e úmida, segundo expectativa do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Para comparação, uma média divulgada pelo site Weather Spark, que destaca janeiro como o pico de chuvas em São Paulo, estipula uma média de 217 mm de precipitação ao longo dos 31 dias do mês.

Outras regiões paulistas devem ficar em alerta até segunda-feira (31). Entre elas a Grande São Paulo, que também pode receber cerca de 150 mm de chuva entre hoje e o último dia do mês.

Um sistema de baixa pressão, associado na meteorologia com a formação de muitas nuvens e favorecimento de chuva, deve chegar ao centro e sudeste de São Paulo ainda hoje, com origem em Santa Catarina.

Ele alcança a costa paulista amanhã, criando uma frente fria que permanece sobre a região, e se alia a uma nova ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul), formando o corredor de umidade que irá atuar sobre parte do país até a próxima segunda-feira, afetando principalmente Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, centro-sul de Minas Gerais e o Mato Grosso do Sul, de acordo com o Climatempo.

Parte conhecida no verão do Hemisfério Sul, no Brasil, a ZCAS é um corredor de umidade vinda da Amazônia que, quando conectado a uma frente fria no Atlântico Sul ou a um sistema de baixa pressão, gera grandes quantidades de chuva por vários dias.

Final de semana também deve ter queda de temperatura

A temperatura também deve apresentar uma mudança significativa ao longo do último final de semana de janeiro. Depois de dias de calor intenso, as temperaturas no Centro-Sul do país devem sair da casa dos 30°C.

Em São Paulo, por exemplo, as máximas não devem passar de 25°C, registro bem mais ameno que os 33,8°C marcados no domingo (23), recorde de 2022 até o momento, segundo informações do Inmet.

Cotidiano