PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

Homem pede à polícia para ser preso para não matar ex: 'Abri BO contra mim'

Samuel Santos Souza, de 24 anos, havia ido até a casa da ex-companheira e feito ameaças a ela - Divulgação/PMES
Samuel Santos Souza, de 24 anos, havia ido até a casa da ex-companheira e feito ameaças a ela Imagem: Divulgação/PMES

Matheus Brum

Colaboração para o UOL, em Vitória

22/02/2022 14h42Atualizada em 23/02/2022 08h12

Um confeiteiro pediu para ser preso pela Polícia Militar do Espírito Santo. Samuel Santos Souza, de 24 anos, havia ido até a casa da ex-companheira e feito ameaças a ela, em Vitória. No momento em que estava no local, brigando com a ex-mulher, uma viatura da PM passou pelo local e, neste momento, ele interpelou os policiais, pedindo que evitassem que a confusão fosse além e terminasse em violência ou até morte.

"Mandei várias mensagens dizendo para ela que, se não voltasse comigo, ia matar ela e o cara que está com ela. Para isso não acontecer, abri um B.O contra mim mesmo. Foi uma atitude para proteger a mim, a ela e também a nossa filha, de três anos. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura para mim", admitiu o confeiteiro, ao UOL, enquanto estava no DML (Departamento Médico-Legal), antes de ser efetuada a prisão.

Samuel disse que o relacionamento terminou há quatro meses, depois que a mulher descobriu que ele a traiu três vezes. A partir daí começaram as ameaças.

"Tenho certeza de que estava errado. Por isso tive essa atitude. Não quero ser um homem que mata uma mulher. Sei que vou estragar a minha vida. Estou aliviado, porque consigo deixar a todos seguros", falou o confeiteiro.

A ex-mulher de Samuel, de 32 anos, disse que nos últimos meses as ameaças aumentaram, mas nunca foi agredida.

"Ele era ciumento e possessivo. A gente terminou e ele estava tranquilo, mas depois ele não aceitou o término e começou a me pressionar a voltar. Estava me ameaçando o tempo todo. Nunca colocou o dedo em mim, mas me ameaçava", disse a vítima, que preferiu não se identificar, ao UOL.

Em nota, a Polícia Civil informou que Samuel foi preso pela Lei Maria da Penha, por causa da ameaça feita a ex-mulher. Foi arbitrada uma fiança, cujo valor não foi divulgado, mas que não foi paga. O confeiteiro foi levado para o Centro de Triagem de Viana.

Cotidiano