PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Caso Marielle: STJ nega recurso e mantém júri popular a Ronnie Lessa

 STJ mantém júri para ex-policial acusado de matar Marielle Franco há quatro anos  - Reprodução/O Antagonista
STJ mantém júri para ex-policial acusado de matar Marielle Franco há quatro anos Imagem: Reprodução/O Antagonista

Do UOL, em São Paulo

14/03/2022 19h53

O ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Rogerio Schietti Cruz negou recurso e manteve o júri popular para Ronnie Lessa, policial militar reformado acusado de matar a ex-vereadora do Rio Marielle Franco e o seu motorista, Anderson Gomes. O crime foi cometido há exatos quatro anos, em 14 de março de 2018.

Para o magistrado, a sentença de pronúncia —mantida pelo TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro)— apresentou razões concretas tanto para negar a absolvição sumária quanto para submeter Lessa ao tribunal do júri.

No recurso, a defesa do ex-policial alegou que não haveria evidência de seu envolvimento no crime, o que justificaria a absolvição sumária. Entre outros argumentos, sustentou que o réu não estava no local do crime e que nunca teria pesquisado informações sobre Marielle Franco na internet.

Marielle Franco e o seu motorista, Anderson Gomes, foram mortos quando o carro em que estavam foi atingido por 13 disparos, feitos de um outro carro que os seguia desde a Lapa, região central do Rio, onde a vereadora havia participado de um encontro político.

Os ex-PMs Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz foram presos, quase um ano depois, em 12 de março de 2019, como executores do assassinato e continuam presos à espera de julgamento. Ambos negam participação nos crimes.

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) tem revisitado o material colhido durante toda a investigação para ouvir novos depoimentos e reexaminar, com tecnologia mais moderna, os celulares aprendidos nas apurações.

Cotidiano