Conteúdo publicado há 4 meses

Quantidade de ônibus queimados no Rio é a maior em um dia, diz sindicato

Os 35 ônibus incendiados no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (23) representam o maior número registrado em um mesmo dia, disse a Rio Ônibus, sindicato das empresas de ônibus da cidade do Rio.

O que aconteceu

Foram incendiados 20 ônibus de operação municipal, cinco BRTs e os demais são veículos de turismo e fretamento. A mobilidade está comprometida em corredores como a Avenida Santa Cruz, Avenida Cesário de Melo e a Avenida das Américas.

Este é o maior número de ônibus queimados em um único dia na história do município do Rio, segundo informou o sindicato ao UOL.

As linhas de BRT do corredor Transoeste foram temporariamente suspensas na tarde desta segunda-feira, segundo a Mobi-Rio, "por questão de segurança".

O primeiro ônibus que pegou fogo estava na Rua Felipe Cardoso, na altura do BRT Cajueiros, em Santa Cruz, na zona oeste. A informação é do COR-Rio (Centro de Operações Rio), órgão da prefeitura que monitora a cidade por meio de câmeras.

Ao menos 12 pessoas já foram presas por envolvimento nos incêndios, disse a Polícia Militar do Rio de Janeiro.

De acordo com Paulo Valente, porta-voz do Rio Ônibus, cada ônibus incendiado custa, em média, R$ 850 mil cada um para a reposição. A informação foi divulgada ao Brasil Urgente (TV Bandeirantes).

Ao todo, com os 35 incendiados até o momento, o prejuízo para as empresas chega a quase R$ 30 milhões (exatos R$ 29.750.000,00).

Continua após a publicidade

Valente destacou ainda que o prazo para a entrega de cada um dos ônibus após a compra chega a quase seis meses, o que também trará prejuízos "incalculáveis" à sociedade e às empresas.

As empresas também estão recolhendo os ônibus para as garagens com medo de mais depredações, anunciou o sindicato.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes