Conteúdo publicado há 2 meses

Agente da Força Nacional é morto a tiros na porta de casa no Rio

Um agente da Força Nacional foi baleado e morto na porta de casa em Vila Valqueire, no Rio de Janeiro.

O que aconteceu

Informações preliminares indicam que o soldado Edmar dos Santos tentou intervir numa briga de casal durante sua folga. Ele foi assassinado na porta de sua casa. A Polícia Civil investiga o caso.

Uma imagem de câmera de segurança mostra que Edmar dos Santos está parado em frente ao portão quando um homem armado aparece correndo atrás dele. O homem atira duas vezes.

Não há interação entre Edmar dos Santos e o atirador antes dos disparos.

A Polícia Civil informou que uma segunda pessoa foi baleada e socorrida a uma unidade de saúde. O autor dos disparos não foi localizado

O Ministério da Justiça e as polícias Civil e Militar de Alagoas lamentaram a morte de Edmar dos Santos. Ele era policial da PM desde 2020.

Continua após a publicidade

É o segundo incidente envolvendo a Força Nacional de Segurança Pública desde o início da operação no Rio, em outubro. Horas antes, agentes foram emboscados no Complexo do Chapadão e tiveram as armas roubadas.

Leia na íntegra a nota do Ministério da Justiça:

"O Ministério da Justiça e Segurança Pública lamenta profundamente a morte do policial militar Edmar Felipe Alves do Santos, integrante da Força Nacional, na noite desta terça-feira (28), no Rio de Janeiro.

O policial, que é da PM de Alagoas, estava de folga e foi morto com lesões de arma de fogo ao tentar interceder em uma briga de casal que ocorria próximo ao local onde estava hospedado e apaziguá-la. O autor dos disparos fugiu.

Continua após a publicidade

Todas as circunstâncias do crime serão devidamente apuradas. As autoridades competentes já investigam o caso e a Força Nacional tem prestado todo o apoio relacionado a essa triste fatalidade.

Neste momento de dor e consternação, nossos sentimentos também vão para a família e amigos do PM Edmar dos Santos, bem como para a Polícia Militar de Alagoas que perde um dos seus quadros pelo devotamento à sua função policial, mesmo não estando em serviço."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora