Conteúdo publicado há 1 mês

'Era extremamente preparado', diz esposa de PM morto com a filha em SP

A esposa do PM morto ao lado da filha do lado de fora de uma farmácia em São Paulo afirmou que ele era preparado e preparava a própria família para situações do tipo.

O que aconteceu

Filha se sentiu mal. Ao programa "Encontro", da TV Globo, Flávia Valentim contou que tinha passado a noite no hospital com a filha e com o marido. A jovem de 19 anos, estudante de direito, teve uma crise de gastrite nervosa após a volta às aulas.

Flávia estava na farmácia no momento em que marido e filha foram baleados. Ela contou que a porta estava trancada e que um dos suspeitos tentou forçar a entrada no local.

Troca de tiros e porta quebrada. Os tiros trocados entre o PM e os suspeitos quebraram a porta de vidro da farmácia. Ao ouvir o barulho, a mulher se escondeu com o atendente atrás do balcão e ligou para a Polícia Militar. Ela foi até o veículo do marido quando ouviu os suspeitos saindo do local em um carro em alta velocidade.

Mortes na cena do crime. Flávia contou à TV que o marido e a filha chegaram a receber os primeiros socorros ainda na cena do crime, mas os dois tiveram a morte constatada no local. "O Anderson fez a passagem primeiro. Eles tentaram reanimar muito ele, depois cobriram [o corpo]. Fiquei olhando para a minha filha, pedindo para ela ficar, pedindo para Deus, para meu pai Omolu, devolver ela dos mortos. Eles tentaram de tudo, acho que ela não estava respondendo", recordou.

"Ele me preparou". Flávia afirmou que em 22 anos de casamento, o marido a preparava para situações envolvendo a insegurança pública, o que facilitou o diálogo dela com a polícia na hora do crime. "Eu sabia o que tinha que falar, o que era importante para a polícia naquele momento ouvir, e estava muito racional. Ainda estou racional.", afirmou.

Tenho visto dizerem que ele não era um policial preparado. Ele era extremamente preparado, tanto que ele preparava a minha família. Porque a gente vive no estado de São Paulo e aqui a criminalidade é alta, infelizmente.
Flávia Valentim, esposa de policial morto, à TV Globo

Relembre o caso

Continua após a publicidade

Anderson Valentim, 46, e a filha, Alycia Perroni Valentim, 19, morreram no sábado (24). Eles foram baleados após Anderson, que é PM, trocar tiros com três suspeitos no estacionamento de uma farmácia na zona norte de São Paulo.

Policial estava de folga e em trajes civis. Valentim estava no banco do motorista e a filha no banco de trás do carro na avenida Nossa Senhora do Loreto, na Vila Medeiros, quando os três criminosos se aproximaram. A esposa dele estava dentro da farmácia fazendo uma compra.

Crime foi gravado por câmera de segurança. Imagens do circuito de segurança da farmácia mostraram dois dos suspeitos fazendo um sinal para o policial com as mãos, enquanto um terceiro tenta abrir a porta da farmácia, que estava trancada. Ele se vira para seguir os outros dois, que caminhavam para longe do estabelecimento.

O policial foi atingido por um tiro após descer do carro com a arma em punho. Os criminosos fugiram após a troca de tiros em um carro que foi localizado pela PM em Guarulhos.

Suspeitos identificados. A identidade do trio foi divulgada nessa segunda-feira (26). Os nomes deles, de acordo com a Polícia Civil, são: Erivaldo Aparecido de Lima, Diogo Damasceno dos Santos e Douglas Henrique de Jesus.

Deixe seu comentário

Só para assinantes