Conteúdo publicado há 2 meses
OpiniãoCotidiano

Tales: Caso Marielle não está encerrado; falta detalhar motivação e demora

A prisão dos supostos mandantes do assassinato de Marielle Franco não encerra o caso, já que ainda falta esclarecer alguns pontos importantes sobre o crime, disse o colunista Tales Faria no UOL News desta segunda (25).

Ainda falta explicar muita coisa. A motivação, explicada pelo ministro [Ricardo] Lewandowski, parece-me algo muito simples para um assassinato. Se for isso, temos que levantar outros casos. Certamente o [Chiquinho] Brazão teve desavenças com muitas outras pessoas na Câmara Federal. E por que não matou? E por que nesse caso [da Marielle] matou?

Outra coisa que não está bem explicada é: por que demorou cinco anos? Rivaldo [Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro] e Giniton [Lages, delegado] ficaram menos de um ano nos seus cargos. Não foram apenas eles que atrapalharam as investigações. Houve mais gente para fazer com que elas demorassem cinco anos. Tales Faria, colunista do UOL

Tales também questionou os motivos pelos quais as investigações da Polícia Federal sobre o trabalho das autoridades do Rio de Janeiro também ficaram travadas por tanto tempo.

Quando Raul Jungmann [ex-ministro da Justiça] e Raquel Dodge [ex-procuradora geral da República] saíram, a 'investigação da investigação' não andou na Polícia Federal. Por que não andou durante esse tempo do governo Bolsonaro e só mudou quando Flávio Dino assumiu [o Ministério da Justiça]? Falta explicar isso.

A PF, o Ministério Público e o Alexandre de Moraes estão se baseando apenas na delação premiada [do ex-policial Ronnie Lessa] ou foram feitas outras apurações que a confirmaram? É preciso esclarecer isto e apresentar estas provas.

Ainda há muitos fatos nebulosos para dizermos que este caso está encerrado. Não está, definitivamente. Tales Faria, colunista do UOL

Levar Domingos Brazão a presídio federal é uma violência, diz advogado

Continua após a publicidade

Ubiratan Guedes, advogado de Domingos Brazão, classificou como "arbitrariedade e uma violência" a condução de seu cliente ao presídio federal em Brasília. O defensor do conselheiro do TCE-RJ ainda afirmou que "era esperado" o STF decidir pela manutenção da prisão dos supostos mandantes do assassinato de Marielle Franco.

Ainda não tive tempo de ler o relatório porque estava envolvido nesta arbitrariedade que ocorreu. Prende-se um cidadão, sendo que ele não foi denunciado. Quando ele chega na Polícia Federal, é comunicado que vai para um presídio federal. Isso é uma violência. Causou-me surpresa que quase todos estão apoiando essa decisão. Isso também não pode. Deve haver requisitos para botar um cidadão em um presídio de segurança máxima. Não é assim. Ubiratan Guedes, advogado de Domingos Brazão.

Freixo: Caso Marielle só foi resolvido porque Lula assumiu poder e mudou PF

A vitória eleitoral de Lula e a mudança que o petista promoveu na Polícia Federal foram decisivas para que o caso Marielle fosse solucionado, afirmou o presidente da Embratur e ex-deputado federal Marcelo Freixo.

O crime da Marielle só foi solucionado porque o Lula assumiu o poder e mudou a Polícia Federal. Se não fosse isso, não teria resolvido o caso Marielle. Ponto. A eleição e a mudança das instituições não são um detalhe. Se o Andrei [Rodrigues] não tivesse assumido a PF, o caso Marielle não teria sido resolvido. Ontem seria um domingo de chuva normal no Rio de Janeiro. Marcelo Freixo, presidente da Embratur e ex-deputado federal

Continua após a publicidade

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes