Conteúdo publicado há 30 dias

Escultor é preso suspeito de matar 4 jovens e jogar corpos em poço em AL

A Polícia Civil de Alagoas prendeu um escultor que teria confessado o assassinato de quatro jovens. Os corpos foram escondidos em um poço, em Arapiraca, na região agreste do estado.

O que aconteceu

Regivaldo da Silva Santana, conhecido como Giba, é apontado como o responsável pela chacina, que vitimou dois adolescentes e dois jovens. Em entrevista coletiva, o delegado-geral da Polícia Civil de Alagoas, Gustavo Xavier, disse que o empresário confessou o crime cometido no dia 13 de abril, mas os corpos só foram encontrados ontem.

Quem são as vítimas: a polícia identificou os corpos de Letícia da Silva Santos, 20, Lucas da Silva Santos, 15 —os dois eram irmãos—, Joselene de Souza Santos, 17, namorada de Lucas, e Erick Juan de Lima Silva, 20, namorado de Letícia.

Escultor disse que as vítimas teriam furtado pertences de sua propriedade. Segundo a polícia, Giba afirmou que conhecia as jovens porque, ocasionalmente, elas pediam alimentos e dinheiro a ele.

Pizza no dia do crime. Giba teria levado as duas até o centro de Arapiraca. O trio foi até uma agência bancária, onde ele sacou dinheiro; eles compraram uma pizza e depois retornaram para a propriedade. Quando chegaram, o empresário foi avisado por um sobrinho que os namorados das jovens teriam furtado um celular e outro equipamento do local.

Com a ajuda de um sobrinho e de outro homem, Giba localizou os jovens que supostamente teriam furtado objetos de sua propriedade e cometeu os assassinatos. Ainda segundo a polícia, ele alegou que fez um disparo acidental, que acertou a primeira vítima. Em seguida, ele matou os outros três e ocultou os corpos em um poço com cerca de 20 metros, em sua propriedade no sítio Laranjal, no interior de Arapiraca.

Corpos já estavam em decomposição. Militares do Corpo de Bombeiros levaram quase cinco horas para conseguir remover os cadáveres do poço. Em seguida, os corpos foram encaminhados ao IML, onde passaram por exames para serem identificados — os corpos de Letícia e Lucas foram liberados na tarde de hoje, e os outros dois permaneceram no IML para identificação.

Suspeitos de ajudar empresário também foram detidos. Em uma ação conjunta entre as polícias Civil de Alagoas e de Sergipe, os investigadores prenderam na tarde de hoje os outros suspeitos de participação na chacina — entre eles, o sobrinho de Giba. Eles foram detidos no município de Nossa Senhora da Glória (SE) e levados para Maceió, onde ficaram à disposição da Justiça.

Eles alegaram que foram "coagidos" pelo empresário a ajudá-lo na ocultação dos corpos. Eles não tiveram os nomes revelados.

Continua após a publicidade

Empresário passou por audiência de custódia neste sábado, e a Justiça de Alagoas manteve sua prisão. Giba é um escultor sergipano responsável por produzir esculturas sacras para Alagoas.

Ele é CAC (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador) e tinha autorização para ter armas. A polícia apreendeu 10 armas de sua coleção, além de duas cobras que eram criadas por ele.

O UOL não conseguiu localizar a defesa do suspeito. O espaço segue aberto para manifestação.

Deixe seu comentário

Só para assinantes