Conteúdo publicado há 27 dias

Suspeito de matar idoso com 'voadora' é indiciado por homicídio em SP

A Polícia Civil de São Paulo concluiu o inquérito e indiciou por homicídio o empresário Tiago Gomes de Souza, suspeito de matar um idoso de 77 anos com uma "voadora" na região do peito em Santos, no litoral do estado.

O que aconteceu

Delegada responsável pelo caso alterou a tipificação do crime. Inicialmente, o caso foi registrado como "lesão corporal seguida de morte". Porém, na conclusão do inquérito, Tiago foi indiciado por homicídio qualificado com dolo eventual.

O dolo eventual é quando o agente não quer o resultado (neste caso, a morte), mas assume o risco de fazê-lo por conta dos fatos e das circunstâncias que permearam os acontecimentos. O indiciamento foi confirmado ao UOL pela delegada Liliane Lopes Doretto, titular do 3º DP de Santos, responsável pela investigação do caso, neste sábado (15).

Inquérito policial acrescentou duas qualificadoras ao crime. A primeira é por motivo fútil e a segunda é pelo emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Tiago está preso preventivamente (por tempo indeterminado). Nesta semana, a Justiça de São Paulo negou um pedido liminar de habeas corpus para soltá-lo após a defesa do suspeito apontar "constrangimento ilegal" na detenção do cliente. A análise do mérito do habeas corpus ainda será julgada em decisão colegiada, ou seja, de um grupo de desembargadores em uma sessão.

Advogado Eugênio Malavasi, que defende o empresário, diz que irá aguardar a denúncia do Ministério Público para se manifestar. O inquérito policial será analisado pelo MP, que decidirá se denuncia Tiago ou não à Justiça pelo crime.

O MP foi procurado, mas não respondeu aos questionamentos da reportagem. O texto será atualizado tão logo haja manifestação.

Relembre o caso

Siga UOL Notícias no
Continua após a publicidade

Idoso de 77 anos morreu após levar uma "voadora" no peito quando tentava atravessar a rua em Santos (SP). César Fine Torresi cruzava a rua de mão dada com o neto, de 11 anos, quando um carro dirigido por Tiago Gomes de Souza, um Jeep Commander, quase o atropelou, segundo testemunhas.

Após o idoso bater com a mão no capô do carro, houve um desentendimento. Então, o motorista de 39 anos desceu do veículo e o golpeou com os pés na região do peito. O caso foi registrado na rua Pirajá da Silva na tarde do dia 8 de junho.

O idoso bateu a cabeça ao cair no chão, segundo a Polícia Militar. Um médico que passava pelo local prestou os primeiros socorros e acionou o Samu. César foi socorrido à UPA Leste, segundo familiares.

Meu pai se assustou com o carro do agressor, um Jeep Commander, que quase o atropelou. Ele bateu com a mão no capô e o agressor desceu e golpeou meu pai com uma voadora.
Cesar Fine Torresi Filho, ao UOL

Na UPA, o idoso teve paradas cardíacas e morreu. Ele também teve um quadro de traumatismo craniano, informaram os parentes de César.

Reconstituição do crime ocorreu na quinta-feira (13). Na simulação, Tiago se ajoelhou diante dos policiais e teria chorado. A delegada afirmou que a reconstituição foi solicitada porque a polícia não tinha imagens do momento em que o idoso foi agredido, além disso, uma testemunha e o suspeito do crime têm versões diferentes sobre o que ocorreu na ocasião.

Deixe seu comentário

Só para assinantes