Conteúdo publicado há 1 mês

Justiça nega habeas corpus a suspeito de matar idoso com 'voadora' em SP

A Justiça de São Paulo negou um pedido liminar de habeas corpus para soltar Tiago Gomes de Souza, suspeito de matar um idoso de 77 anos com uma "voadora" na região do peito em Santos, no litoral de São Paulo.

O que aconteceu

Defesa de Tiago, que fez o pedido à Justiça, afirmou que o cliente sofreu "constrangimento ilegal". Ele está preso preventivamente (por tempo indeterminado) após ter sido detido em flagrante por lesão corporal seguida de morte. A prisão foi convertida em preventiva no domingo (9). Os defensores entraram com pedido de medida liminar — ordem judicial provisória em situações tidas como urgentes — para que ele tivesse a detenção substituída por medidas cautelares.

Os defensores argumentaram que a detenção foi decretada apenas em razão da "gravidade abstrata do delito". Eles reforçaram que não estavam presentes os requisitos legais que justificassem a prisão.

Advogados também ressaltaram "histórico" de Tiago. Eles disseram ao Judiciário que o cliente é primário, tem emprego e é pai de três crianças, sendo o responsável pela subsistência delas. Os defensores também argumentaram que o cliente faz psicoterapia, tratamento psiquiátrico e toma medicamentos controlados.

Inicialmente, desembargador afirma não ter visto ilegalidade na prisão. Em decisão proferida na terça-feira (11), o relator Hugo Maranzano, da 3ª Câmara de Direito Criminal, apontou que a medida liminar em habeas corpus deve ser proferida apenas em caso de flagrante constrangimento ilegal, o que, na sua avaliação, não está presente nos autos do caso. A decisão foi obtida pelo UOL.

A análise do mérito do habeas corpus ainda será julgada pela 3ª Câmara em decisão colegiada, ou seja, de um grupo de desembargadores em uma sessão.

Reconstituição do caso ocorreu nesta quinta-feira (13). As diligências continuam para esclarecer os fatos e mais detalhes não serão divulgados para preservar a autonomia dos trabalhos policiais, informou a SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo. O caso é investigado pelo 3ºDP de Santos.

A reportagem tenta contato com a defesa de Tiago. O espaço segue aberto para a manifestação.

Relembre o caso

Siga UOL Notícias no
Continua após a publicidade

Idoso de 77 anos morreu após levar uma "voadora" no peito quando tentava atravessar a rua em Santos (SP). César Fine Torresi cruzava a rua de mão dada com o neto, de 11 anos, quando um carro dirigido por Tiago Gomes de Souza, um Jeep Commander, quase o atropelou, segundo testemunhas.

Após o idoso bater com a mão no capô do carro, houve um desentendimento. Então, o motorista de 39 anos desceu do veículo e o golpeou com os pés na região do peito. O caso foi registrado na rua Pirajá da Silva na tarde do sábado (8).

O idoso bateu a cabeça ao cair no chão, segundo a Polícia Militar. Um médico que passava pelo local prestou os primeiros socorros e acionou o Samu. César foi socorrido à UPA Leste, segundo familiares.

Meu pai se assustou com o carro do agressor, um Jeep Commander, que quase o atropelou. Ele bateu com a mão no capô e o agressor desceu e golpeou meu pai com uma voadora.
Cesar Fine Torresi Filho, ao UOL

Na UPA, o idoso teve paradas cardíacas e morreu. Ele também teve um quadro de traumatismo craniano, informaram os parentes de César. O caso foi registrado como lesão corporal seguida de morte.

Deixe seu comentário

Só para assinantes