PUBLICIDADE
Topo

Partido de Mourão vira 'barriga de aluguel' de bolsonaristas nas eleições

O vice-presidente e o presidente nacional do PRTB, partido que abriga "bolsonaristas raiz" em São Paulo - Reprodução Instagram
O vice-presidente e o presidente nacional do PRTB, partido que abriga "bolsonaristas raiz" em São Paulo Imagem: Reprodução Instagram

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

10/08/2020 04h00

Resumo da notícia

  • O presidente Jair Bolsonaro não conseguiu fundar o Aliança antes das eleições e seus apoiadores precisaram procurar um partido para sair a vereador
  • O PRTB, partido do vice-presidente general Hamilton Mourão, abrigou estas pessoas em São Paulo e metade da chapa é de bolsonaristas
  • O coordenador da campanha atribui a escolha dos apoiadores do presidente às bandeiras conservadoras do PRTB como defesa da família
  • Com a absorção de bolsonaristas, o PRTB vai ter um recorde de candidatos e espera até 15 mil filiados concorrendo

Os bolsonaristas que serão candidatos na eleição deste ano ficaram órfãos com o processo não concluído de fundação do Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado por Jair Bolsonaro (sem partido) para abrigar seus aliados. Em São Paulo, uma parcela considerável de pessoas que iriam concorrer a vereador pelo partido do presidente escolheu o PRTB, sigla do vice-presidente, general Hamilton Mourão.

O PRTB terá cerca de 80 candidatos e pelo menos 40 serão "bolsonaristas raiz", expressão usada por Jairo Glikson, coordenador da campanha. Ele atribui a opção dos apoiadores do presidente ao caráter conservador e direitista da sigla.

"Os raízes escolherem o PRTB. O pessoal do Bolsonaro veio para gente. Fizeram ofertas financeiras para pré-candidatos irem para outros supostos partidos de direita e eles negaram", declarou.

Em todo o país, a absorção de bolsonaristas que abandonaram o PSL fará o número de candidatos do PRTB dobrar nesta eleição, afirmou o presidente nacional do partido e pré-candidato a prefeito de São Paulo, Levy Fidelix. No último pleito, foram 6,8 mil pessoas concorrendo no país e agora o número deve fechar entre 13 mil e 15 mil candidatos —um recorde.

Levy Fidelix contou que não foi somente na cidade de São Paulo, mas capitais de outros estados também receberam considerável parcela de ex-integrantes do PSL e pessoas que iriam se filiar ao Aliança pelo Brasil. Jairo Glikson afirmou que o mesmo ocorreu em cidades do interior paulista como Araraquara e Atibaia. O partido mira o "bolsonarista raiz" há bastante tempo. Em fevereiro, Levy Fidelix deu o recado no Instagram.

"Eleições 2020: Sem o Aliança pelo Brasil, o PRTB é uma das opções para Bolsonaristas", escreveu em seu perfil na rede social como legenda de uma foto em que aparece com o general Mourão.

PRTB abriga ativistas e indicações de políticos bolsonaristas

A lista de pessoas que vão tentar uma vaga de vereador pelo PRTB inclui ativistas de movimentos que fazem protestos rotineiros a favor do presidente em São Paulo como o Avança Brasil, Nas Ruas, Liga Cristã Mundial e o Damas de Aço. Glikson é advogado e defende integrantes destes grupos quando necessários, o que facilitou a composição.

O coordenador de campanha acrescentou que deputados estaduais bolsonaristas indicaram nomes ligados a eles. Há também militares e policiais na chapa do PRTB.

Outro candidato citado pelo coordenador de campanha do partido é Bruno Zambelli, irmão da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), uma das mais ferrenhas defensoras de Bolsonaro.

"É um partido que dá liberdade para votar conforme a consciência. Então, nós conservadores temos a tranquilidade de que não vai haver nenhum problema quanto a votar conforme a consciência dele casos ele [Bruno Zambelli] seja eleito", diz a deputada.

Cris Godoy - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Cris Godoy, candidata a vereadora pelo PRTB, durante manifestação em apoio a Bolsonaro
Imagem: Reprodução Instagram

Desiludida com PSL, candidata escolhe PRTB

Cris Godoy tentou, mas não conseguiu se eleger deputada estadual em São Paulo pelo PSL em 2018. Desde então, ficou desiludida com o partido e resolveu procurar outra sigla para tentar uma vaga na Câmara Municipal.

"Escolhi o PRTB porque o partido atende minhas pautas. Ser um partido conservador que prioriza a família. São as mesmas bandeiras do presidente. É um partido que me deixa livre para fazer meu trabalho dentro do conservadorismo que eu defendo. Fui para o PSL e descobri que não era bem assim. Me desfiliei por desilusão total", diz.

Ela conta que não é um caso isolado e conhece outros ativistas de direita que optaram pelo PRTB. Cris Godoy acrescentou que este foi o partido que mais agregou bolsonaristas a seus quadros na cidade de São Paulo.

"Conheço outras pessoas que eram PSL, todos conservadores de verdade e eu e vários vieram do PSL para o PRTB. Acredito que foi partido que mais arregimentou bolsonaristas."

Ao escolher o PRTB, a pré-candidata abriu mão do fundo eleitoral porque o partido não vai usar o dinheiro. Ela falou que faz política por convicção e este fator contribuiu na escolha porque não considera justo usar dinheiro público em campanha. "Viemos sabendo que não haveria nenhuma ajuda financeira", afirma.

Mourao - Evaristo Só/AFP - Evaristo Só/AFP
PRTB usou chapa Bolsonaro e Mourão para atrair simpatizantes do presidente
Imagem: Evaristo Só/AFP

PRTB espera contar com Mourão na eleição

O presidente do PRTB afirmou que o general Hamilton Mourão vai participar da campanha nos finais de semana, quando estará livre das obrigações do cargo. Levy Fidelix acrescentou que há data para gravações de candidatos do partido junto com o vice-presidente no começo do próximo mês.

"Dias 5 e 6 de setembro vamos gravar com o Mourão. Levarei a Brasília candidatos de 18 estados onde estamos disputando a eleição na capital e de mais 50 das maiores cidades do Brasil."

O UOL entrou em contato com o gabinete do vice-presidente para confirmar a participação dele nas eleições e como ela se daria, mas não houve resposta.

Mas com o nome dele e a associação ao bolsonarismo, o PRTB espera o melhor desempenho de sua história. Levy Fidelix acredita que também será beneficiário desta composição e chegará ao segundo turno. O presidente do PRTB já disputou 13 eleições e nunca foi eleito.