PUBLICIDADE
Topo

Russomanno cai mais entre católicos, mais pobres e pretos, aponta Datafolha

21.out.2020 - Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo
Imagem: 21.out.2020 - Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

23/10/2020 12h02

O candidato a prefeito de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) perdeu apoio em todos os estratos analisados na mais recente pesquisa do Datafolha sobre a corrida paulistana, que traz Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição, numericamente à frente. O novo levantamento foi divulgado ontem.

De acordo com os dados da pesquisa, as quedas mais acentuadas de Russomanno foram entre eleitores jovens, pretos, católicos e entre os mais pobres na comparação com a pesquisa de 8 de outubro.

Ontem, ao comentar a pesquisa, a campanha do candidato disse que o que "conta" é o levantamento o coloca no segundo turno. "Continuaremos a nossa campanha com o mesmo entusiasmo."

Raça

Pretos e pardos (termos utilizados pelo Datafolha) deixaram de declarar intenção de voto em Russomanno quase que na mesma quantidade entre a pesquisa de ontem e a registrada em 8 de outubro.

Entre pardos, ele passou de 32% para 22% (queda de 10 pontos). Entre negros, a queda foi maior, de 27% para 16% (11 pontos), de acordo com pesquisa divulgada ontem.

Entre os brancos, Russomanno passou de 23% para 19%. Agora, Covas está à frente nos três cenários.

Religião

A queda de Russomanno também foi registrada entre os eleitores com religião declarada. Foram 13 pontos perdidos entre católicos, passando de 27% para 14%.

E oito pontos entre evangélicos, de 39% para 31%, eleitorado mais próximo de seu partido, o Republicanos, e de seu puxador de votos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Renda

A quantidade de eleitores com renda de até dois salários que apoia Russomanno caiu nove pontos, indo de 34% para 25%.

Na faixa seguinte, com eleitorado com renda entre dois e cinco salários, a queda foi maior, de 11 pontos, chegando a 17%.

Entre os outros grupos de renda, o candidato também apresentou perda de eleitorado, mas em menor nível.

Agora, ele tem 10% na faixa entre 5 e 10 salários. Antes, eram 11%. E no grupo com renda acima de dez salários, caiu cinco pontos, indo de 14% para 9%.

Faixa etária

Os mais jovens e os mais velhos também mudaram sua intenção de voto sobre Russomanno.

Entre o eleitorado com idades entre 16 e 24 anos, o candidato baixou 15 pontos, de 35% para 20% das intenções de voto entre 8 e 22 de outubro.

Na faixa etária seguinte, de 25 a 34 anos, a queda foi de nove pontos, indo de 26% para 17%.

De 35 a 44 anos, a queda foi de oito pontos, de 27% para 19%.

Os idosos também abandonaram Russomanno na mesma proporção. O eleitorado do candidato na faixa acima de 60 anos passou de 28% para 19%. Esta era a única faixa etária em que Russomanno não liderava na pesquisa anterior.

A menor perda foi entre a faixa intermediária, de 45 a 59 anos de idade. Nela, a queda foi de três pontos, chegando a 22%.

Grau de instrução

Russomanno liderava entre o eleitorado com ensino fundamental e médio completos. Entre o primeiro grupo, caiu dez pontos, chegando a 26%. No segundo, baixou sete, ficando com 24%.

No grupo com ensino superior, em que perdia para Covas e Guilherme Boulos (PSOL) na pesquisa anterior, Russomanno agora está atrás também de Márcio França (PSB). O candidato do Republicanos caiu de 16% para 9%.

A pesquisa, contratada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo, foi realizada entre os dias 20 e 21 de outubro. Ela apresenta margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento ouviu 1.204 eleitores e tem 95% de confiança. No TRE (Tribunal Regional Eleitoral), ela está registrada sob o número SP-02125/2020.