PUBLICIDADE
Topo

Shopping na Cracolândia, hino nas escolas: ideias de Levy Fidelix para SP

Levy Fidelix é candidato do PRTB a prefeito de São Paulo - 11.out.2018 - Marcelo Chello/CJPress/Folhapress
Levy Fidelix é candidato do PRTB a prefeito de São Paulo Imagem: 11.out.2018 - Marcelo Chello/CJPress/Folhapress

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

27/10/2020 04h00

Candidato do PRTB a prefeito de São Paulo, Levy Fidelix pretende desapropriar a região da Cracolândia e criar "o maior shopping de tecnologia e eletrônicos da América Latina". Entre seus projetos, também está o de tornar obrigatório que alunos cantem o Hino Nacional nas escolas da rede municipal de ensino.

O UOL continua nesta semana a publicação de resumos dos programas de governo dos candidatos que disputam a Prefeitura de São Paulo. O plano de governo apresentado à Justiça Eleitoral tem 11 páginas. A íntegra do documento está disponível neste link.

O candidato não quis responder as perguntas da reportagem sobre dúvidas a respeito do plano de governo.

Shopping na Santa Ifigênia

Propõe construir um shopping na região da rua Santa Ifigênia, no centro paulistano, um dos principais endereços de comércio eletrônico na capital. A ideia de Levy é situar no empreendimento "as empresas de informática, tecnologia, eletrônicos e lojas de venda de produtos, tais como computadores, celulares e toda gama de produtos que se vende na Santa Ifigênia".

Para que isso, saia do papel, diz que irá "desapropriar toda a região da cracolândia e ruas daquele quadrilátero". O texto se limita a isso, sem detalhes do processo, de custos ou de que instituição faria a administração do shopping.

Para transformar a cracolândia, outra ideia do candidato é tornar a área o "novo centro administrativo da prefeitura". Ele também prevê que prédios sejam destinados a funcionários públicos.

Hino obrigatório

Na área da educação, um dos tópicos é "reintroduzir obrigatoriamente" o Hino Nacional nas escolas municipais "para ser cantado por todos os alunos". O programa de governo não traz a explicação do objetivo da medida.

Outro ponto diz respeito a escolas cívico-militares "para introduzir o civismo na educação infantil e fundamental". Seriam unidades em que os alunos estariam fardados e com professores que tenham formação militar. Ele pretende inaugurar duas escolas neste modelo por ano.

Também pensa em permitir crianças e adolescentes na GCM (Guarda Civil Metropolitana). A única explicação sobre o tema é que elas fariam parte das brigadas mirim e juvenil. As atividades delas seriam no auxílio ao trânsito e na defesa patrimonial, contra "pichações e vândalos".

Combustível para taxistas

O uso de táxis deverá ser estimulado. Entre suas propostas, está a de dar até 100 litros de combustível por mês para taxistas. O custo do programa e seu objetivo não são mencionados.

Fidelix considera como geradores de "gargalos" no trânsito paulistano a rodoviária do Tietê, o aeroporto de Congonhas e a Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo). O candidato deseja deslocar essas estruturas para regiões periféricas, "especialmente, próximas ao Rodoanel". Mas nenhum desses três equipamentos pertence à prefeitura.

Defensor da tese de que existe uma "indústria da multa", pretende acabar com o pagamento de multas. "As infrações com penas pecuniárias deverão ser eliminadas", diz texto de Fidelix, que prefere apostar em campanhas educacionais contra infrações no trânsito.

Tradicional proposta do candidato, o aerotrem, também chamado de monotrilho, aparece no plano de governo. A proposta é construir 100 km pela cidade. No centro, há a proposta de haver linhas de ônibus circulares de uso gratuito "para incentivar a população a deixar o carro em casa".

A campanha tem o desejo de ver os rios Pinheiros e Tietê canalizados. O candidato pretende usar o espaço acima dos rios para criar um bulevar, com parques, bares e equipamentos esportivos.

O candidato também é contra a proposta do Cidade Linda, que barra o uso de outdoors na capital paulista. A ideia, porém, é que as estruturas de publicidade sirvam como pontos de iluminação.

Na última pesquisa do Datafolha, Fidelix viu seu percentual de intenção de votos ir de 2% para 1%. O primeiro turno da eleição acontece em 15 de novembro.