PUBLICIDADE
Topo

Vitória: prefeito e candidato ao cargo estão com covid após ato com 2.000

Luciano Rezende (de camisa verde) e Fabrício Gandini (à esq. do prefeito) participam de campanha eleitoral em Vitória - Diego Alves/Divulgação/Fabrício Gandini
Luciano Rezende (de camisa verde) e Fabrício Gandini (à esq. do prefeito) participam de campanha eleitoral em Vitória Imagem: Diego Alves/Divulgação/Fabrício Gandini

Lucas Rezende

Colaboração para o UOL, em Vitória

30/10/2020 15h53Atualizada em 30/10/2020 21h31

Quatro dias após participar de um evento de campanha eleitoral que reuniu duas mil pessoas, o prefeito de Vitória, Luciano Rezende (Cidadania), foi diagnosticado com covid-19. Como não pode disputar a reeleição, Luciano apoia o deputado estadual Fabrício Gandini (Cidadania), que também foi contaminado e estava no mesmo evento realizado em um clube de Vitória nessa segunda-feira (26).

Houve aglomeração e militantes não respeitaram o distanciamento social. Em alguns momentos do ato, Luciano Rezende - que é médico - não usou máscara. Gandini usou uma máscara de proteção no rosto, mas também chegou a tirar o acessório.

Em vídeo, o prefeito disse que teve sintomas respiratórios leves e está bem. Ele explicou que continua trabalhando de forma remota.

Também por vídeo, Gandini falou que está se sentindo cansado e sente um pouco de febre. "Sabemos que essa doença não é brincadeira", disse. O candidato tem 22% das intenções de voto, segundo pesquisa Ibope divulgada em 13 de outubro. Ele está em empate técnico na liderança com João Coser (PT), que tem os mesmos 22%.

O UOL procurou as assessorias de Luciano Rezende e Fabrício Gandini para questionar o não uso de máscara, recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para evitar a transmissão do novo coronavírus.

Por nota, a assessoria do prefeitou alegou que ele usou máscara durante todo o evento, retirando apenas para discursar. "O microfone foi higienizado antes e após o uso", diz a nota.

Sobre a realização de um evento com aglomeração, a Prefeitura de Vitória ressaltou que a "fiscalização de eventos políticos partidários é realizada pelo poder Judiciário". Disse ainda que "qualquer ato de propaganda partidária ou eleitoral, em recinto aberto ou fechado, não depende de licença do poder público".

A assessoria de imprensa do candidato Gandini disse que "ele e todos os convidados usaram máscaras no encontro, que contou com estrutura de uso do álcool gel e medidor de temperatura". Mas não comentou o fato de ele ter retirado o acessório em alguns momentos.

"Gandini sempre respeitou e respeita todas as normas de segurança sanitária. A máscara de acrílico transparente é vendida em todas as farmácias, com certificado, e a maioria dos candidatos usa", defendeu a assessoria.

A assessoria ressaltou que o Governo do Espírito Santo liberou a realização de eventos corporativos, como palestras e assembleias, sem limite de pessoas, para municípios classificados com risco baixo. A nota, no entanto, não comenta a respeito da aglomeração no evento.

Deputado Rigoni

O deputado federal Felipe Rigoni (PSB) também esteve no evento e foi outro a ser diagnosticado com covid-19. A assessoria de imprensa do parlamentar disse que ele começou a tossir e ter indisposição no final da noite do evento no clube de Vitória. Rigoni usava máscara na ocasião. O deputado cancelou as agendas previstas para os próximos dez dias.

Segundo dados do governo estadual, o Espírito Santo possui 154.131 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, com 3.841 mortos. Vitória é a segunda cidade mais afetada, com 19.747 casos oficiais e 445 mortes. O bairro de Jardim Camburi, na capital, é o mais afetado do estado inteiro, com 2.852 infectados.