PUBLICIDADE
Topo

RJ: Candidato a vice-prefeito na Baixada é flagrado recebendo dinheiro

Dudu Soares (de rosa) é candidato à vice-prefeito pelo PSD em São João do Meriti - Reprodução/TV Globo
Dudu Soares (de rosa) é candidato à vice-prefeito pelo PSD em São João do Meriti Imagem: Reprodução/TV Globo

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

30/10/2020 11h02

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, investiga a suposta extorsão cometida por um vereador e candidato a vice-prefeito em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. A extorsão teria ocorrido contra um empresário da cidade. As informações são da TV Globo.

Um vídeo obtido pela emissora mostra Carlos Eduardo do Nascimento Soares, conhecido como Dudu Soares, candidato a vice-prefeito pelo PSD, recebendo maços de dinheiro do empresário.

O caso ocorreu no dia 16 de setembro, e as imagens foram gravadas pelo próprio empresário - que não terá o nome divulgado por questões de segurança. Em depoimento, ele disse ter pago R$ 20 mil e que a mesma quantia seria cobrada semanalmente - o que não ocorreu. Também foram pedidos a ele a quantia de R$ 200 mil para boca de urna.

De acordo também com o depoimento, o empresário passou a ser procurado e extorquido após a empresa da família dele vender respiradores para o município em um contrato emergencial, sem licitação.

Ainda segundo a reportagem, o empresário apresentou imagens de Dudu Soares na porta de sua empresa gravando vídeos contra o empreendimento acompanhado de um carro da Polícia Militar.

O empresário relatou no depoimento na delegacia que, no primeiro contato de um funcionário dele com Dudu Soares, o candidato à vice teria dito que só pararia de perseguir o empresário depois de acertar com ele e com o candidato a prefeito.

Dudu pede afastamento da chapa

Após divulgação das imagens, Dudu Soares pediu afastamento da campanha. Ele era candidato a vice-prefeito na chapa do policial rodoviário federal e também vereador Charlles Batista da Silva, do Republicanos. Esse último se apresenta como candidato da família Bolsonaro.

Em vídeos de campanha, o candidato e vereador aparece recebendo apoio através de fotos e declarações do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), e pela mãe deles, Rogéria Bolsonaro, candidata a vereadora no Rio pelo Republicanos.

À TV Globo, o candidato à prefeito Charlles Batista negou qualquer envolvimento com a extorsão e disse estar decepcionado com o colega de chapa. Ele disse ainda que pediu ao vice que renunciasse à candidatura.

No entanto, em uma live nas redes sociais, o candidato fez um discurso com um tom um pouco diferente e atribuiu a denúncia ao "desespero da oposição". Em sua fala, ele comparou ainda a denúncia à facada do presidente Jair Bolsonaro, na campanha para presidente da República.

"Confesso que achei a postura dele [do Dudu Soares, candidato à vice] correta quando ele resolveu renunciar ao cargo de vice-prefeito para poder nos deixar seguir firme em direção ao alvo que é mudar a cidade de São João de Meriti. Você empresário, ou algum político que esteja envolvido nisso, essa facada que você está tentando me dar para tirar nossa eleição, está sendo igual a facada que o presidente Bolsonaro tomou. A gente vai mudar junto com o presidente Bolsonaro a história da cidade de São João de Meriti".

Assim como Dudu Soares, Charlles Batista também é suspeito de extorquir dinheiro de empresários. Em 2014, o Ministério Público Federal abriu uma investigação contra o policial rodoviário federal. Ele teria apontado uma arma contra um lojista e exigido o pagamento de R$ 800. A investigação está em andamento na Polícia Federal.

A reportagem do UOL não conseguiu contato com Dudu Soares e aguarda ainda um posicionamento dos partidos que foram procurados por e-mail.