PUBLICIDADE
Topo

Boulos promete manter apoio ao carnaval e regularizar barracões das escolas

Guilherme Boulos (Psol) durante o evento Mutirão Vira Voto, no Largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo - ROBERTO CASIMIRO/ESTADÃO CONTEÚDO
Guilherme Boulos (Psol) durante o evento Mutirão Vira Voto, no Largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo Imagem: ROBERTO CASIMIRO/ESTADÃO CONTEÚDO

Flávio Ismerim

Do UOL, em São Paulo

14/11/2020 11h42

O candidato a prefeito de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), afirmou — em um áudio que circula em grupos de WhatsApp e que teve a autoria confirmada pela reportagem — que manterá apoio da prefeitura ao Carnaval paulistano.

Na mensagem direcionada àqueles que trabalham na organização e na construção dos festejos, Boulos se compromete a regularizar os barracões das escolas de samba e passar a responsabilidade pela organização do carnaval da pasta do Turismo para a Secretaria de Cultura.

O candidato do PSOL acusa a gestão de João Doria e Bruno Covas — ambos do PSDB — de colocar o carnaval da cidade em segundo plano.

"O que eu defendo é que exista uma área especial, dentro da secretaria de cultura, para cuidar do carnaval. Seja dos blocos de rua, ou dos desfiles do Anhembi. A gente tem um compromisso, inclusive, de investir 3% do orçamento total em cultura — o que vai incluir o Carnaval", explica no áudio.

"Outro tema muito importante, que a gente vai levar a sério é a regularização dos barracões e o apoio para espaços públicos para ensaios e outras atividades."

Na mensagem, Boulos cita o caso de Marcelo Crivella (Republicanos), que secou os repasses da Prefeitura do Rio às escolas de samba depois de eleito. "Eu sei que existe um temor em relação ao apoio da prefeitura às escolas de samba, a gente viu o que aconteceu no Rio de Janeiro quando o Crivella assumiu", lembrou.

Confira o áudio transcrito na íntegra:

Oi, gente. Aqui é Guilherme Boulos e essa mensagem vai para todo mundo que trabalha com o carnaval em São Paulo. Eu sei que existe um temor em relação ao apoio da prefeitura às escolas de samba, a gente viu o que aconteceu no Rio de Janeiro quando o Crivella assumiu. Aqui em São Paulo, o carnaval tem ficado em segundo plano. O Doria empurrou para um lado, o Covas botou no Turismo, mas o que eu defendo é que exista uma área especial, dentro da secretaria de cultura, para cuidar do carnaval. Seja dos blocos de rua, ou dos desfiles do Anhembi. A gente tem um compromisso, inclusive, de investir 3% do orçamento total em cultura — o que vai incluir o Carnaval.

Outro tema muito importante, que a gente vai levar a sério é a regularização dos barracões e o apoio para espaços públicos para ensaios e outras atividades. Além disso, a gente vai estar com vocês e os seus representantes no Conselho Municipal de Cultura.

É isso, gente. Com a gente a conversa é direta e vai ser assim nos próximos quatro anos. É por isso que eu peço o seu apoio, não acredite em fake news, não vai em conversa mole. Nesse momento, vamos de 50 para virar o jogo em São Paulo. Forte abraço.

Carro alegórico da Mocidade Alegre - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Carro alegórico da Mocidade Alegre no desfile de 2020
Imagem: Reprodução/TV Globo