PUBLICIDADE
Topo

Sem Boulos e com "procissão" com Erundina, marcha encerra campanha do PSOL

Apoiadores de Boulos estendem faixa na avenida Paulista com o slogan da campanha: "a esperança vai vencer o ódio" - Nathan Lopes/UOL
Apoiadores de Boulos estendem faixa na avenida Paulista com o slogan da campanha: "a esperança vai vencer o ódio" Imagem: Nathan Lopes/UOL

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

28/11/2020 20h38

A campanha de Guilherme Boulos (PSOL) na disputa pela Prefeitura de São Paulo terminou na noite deste sábado (28) com uma marcha pela avenida Paulista sem a presença do candidato, que está em isolamento após o diagnóstico de covid-19.

A marcha aconteceu após o fim de uma carreata de 18,5 quilômetros, que durou pouco mais de três horas, conduzida por sua candidata a vice, a deputada federal Luiza Erundina (PSOL). Ela saiu do Campo Limpo, bairro onde mora o candidato, com destino à praça Oswaldo Cruz.

Luiza Erundina, candidata a vice-prefeita no início do ato final da campanha de Guilherme Boulos, na avenida Paulista - Nathan Lopes/UOL - Nathan Lopes/UOL
Luiza Erundina, candidata a vice-prefeita no início do ato final da campanha de Guilherme Boulos, na avenida Paulista
Imagem: Nathan Lopes/UOL

Quando Erundina chegou ao local —protegida em seu "Erundinamóvel", um carro adaptado para que ela saísse com segurança às ruas—, foi cercada por apoiadores, que a aguardavam pelo menos desde as 15h30. Ela chegou à praça pouco antes das 18h.

Erundina não discursou no final da carreata. Segundo sua assessoria, havia muita gente no local, o que formou aglomeração —algo recorrente nas agendas de Boulos. Mesmo sem falar, Erundina foi seguida a pé pelos apoiadores, como se fosse uma procissão pela Paulista, no sentido Consolação.

Ela se desgarrou do grupo poucos metros depois. Mas a caminhada continuou e se transformou em uma marcha, que bloqueou o trânsito na Paulista. O ato foi acompanhado pela PM (Polícia Militar), que fechava os cruzamentos para os apoiadores de Boulos passarem. Foi cerca de uma hora de caminhada.

Lembrando Covas

Último ato da campanha de Guilherme Boulos na avenida Paulista interditou a avenida - Nathan Lopes/UOL - Nathan Lopes/UOL
Último ato da campanha de Guilherme Boulos na avenida Paulista interditou a avenida e teve a participação de partidos políticos e movimentos sociais
Imagem: Nathan Lopes/UOL

No trajeto, encontraram o deputado federal Orlando Silva (PCdoB), que saiu derrotado no primeiro turno e juntou-se à frente por Boulos para o segundo turno. Ele puxou frases de "vira". A expectativa de vitória contra Bruno Covas (PSDB) deu o tom do ato. O tucano, porém, é o favorito na disputa, segundo as mais recentes pesquisas de intenção de voto.

Covas foi lembrando em vários momentos, com alguns cânticos em tom ofensivo.

O ato terminou com uma bandeira estendida na entrada do acesso para a avenida Dr Arnaldo, com o slogan que tem sido usado por Boulos desde o fim do primeiro turno "a esperança vai vencer o ódio; vote 50".

Ausente fisicamente, Boulos esteve presente em máscaras com o seu rosto. E, claro, com um pouco mais de provocação ao tucano. "Bruno Covas, presta atenção: Guilherme Boulos vai ganhar essa eleição".

Você utiliza a Alexa? O UOL é o parceiro oficial da assistente de voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados das últimas pesquisas eleitorais e dos resultados do 2º turno. Para saber sobre a eleição na sua cidade com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, qual é o resultado da pesquisa eleitoral em São Paulo?", por exemplo, ou "Alexa, quem ganhou a eleição no Rio de Janeiro?". Nos encontramos lá!