PUBLICIDADE
Topo

Patriota diz que Chávez ajudou a Venezuela a se aproximar do Brasil

Marina Motomura<br>Do UOL, em Brasília

05/03/2013 21h46Atualizada em 05/03/2013 22h59

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, afirmou que "se associa ao momento de dor do povo venezuelano e muito especialmente dos familiares do presidente Chávez", que morreu nesta terça-feira (5) em Caracas.

"A Venezuela, sob a liderança do presidente Chávez, viveu processo sem precedente histórico de aproximação com o Brasil", afirma.

"O presidente Chávez será lembrado como o líder venezuelano que maiores vínculos teve com o Brasil e que maior contribuição deu aos esforços de integração regional. Sob sua presidência, a Venezuela tornou-se parceiro estratégico do Brasil e sócio pleno do Mercosul".

No início da noite, a presidente Dilma Rousseff também se pronunciou a respeito da morte de Chávez. Ela disse que o presidente da Venezuela era "um amigo do Brasil".

"Hoje, lamentavelmente, infelizmente, e com tristeza, eu digo para vocês que morreu um grande latino-americano, o presidente da Venezuela Hugo Chávez Frias", afirmou a presidente. "Essa morte deve encher de tristeza todos os latino-americanos e os centro-americanos", disse a presidente, que em seguida propôs um minuto de silêncio.

O ministério das Relações Exteriores e o Palácio do Planalto ainda não confirmaram se a presidente irá viajar à Venezuela para as cerimônias fúnebres de Hugo Chávez. A presidente, no entanto, já cancelou viagem que faria à Argentina a partir de quinta-feira.

Internacional