Topo

Mulher forçada a fazer sexo foge de bordel em Londres e denuncia grupo

Mais de 250 mulheres foram exploradas sexualmente pela gangue, que foi presa - Divulgação/Metropolitan Police London
Mais de 250 mulheres foram exploradas sexualmente pela gangue, que foi presa Imagem: Divulgação/Metropolitan Police London

Do UOL, em São Paulo

17/07/2015 16h59

Integrantes de uma rede internacional de exploração sexual foram presos depois que uma mulher escapou de um bordel em Londres e contou à polícia sobre o que passou nos seis anos em que esteve nas mãos dos criminosos.

A húngara, que permanece no anonimato por razões legais, tinha 20 anos quando começou uma relação com Jeno Burai --então com 24.

O relacionamento azedou quando Burai e a mulher se tornaram noivos e ele a forçou a trabalhar como prostituta na Áustria e na Hungria.

Em 2013, ele a levou para o Reino Unido, onde ela foi obrigada a fazer sexo com mais de dez homens por dia até Burai a vender para quitar uma dívida com outro húngaro --Zsolt Blaga, 38, também conhecido como "Cobra".

Ela foi levada para um bordel em Londres, onde foi estuprada duas vezes por Blaga antes de ser forçada a manter relações sexuais com outros homens. Ela conseguiu escapar depois de escalar uma cerca e contatou a polícia.

Durante a investigação da Scotland Yard --com ajuda de autoridades húngaras-- foi descoberta a conexão dos dois homens à uma organização criminosa internacional.

Os investigadores realizaram buscas em 39 endereços em Londres, na Hungria e Cambridgeshire (um condado da Inglaerra), e prenderam 11 pessoas suspeitas de envolvimento com o grupo em cerca de 50 bordéis em Londres e Peterborough. Mais de 250 mulheres foram exploradas sexualmente pela gangue, de acordo com a polícia.

"A coragem da vítima em escapar e contar à polícia o que aconteceu resultou nessa investigação internacional que colocou esses homens na cadeia", disse o inspetor-chefe da unidade de Tráfico e Sequestro da polícia de Londres, Phil Brewer. (Com Independent)

Internacional