Estado Islâmico assume autoria de ataques na Indonésia, diz agência

Do UOL, em São Paulo

O Estado Islâmico assumiu a autoria de ataques coordenados que deixaram sete mortos na capital da Indonésia, Jacarta, nesta quinta-feira (14). Ao menos dez pessoas ficaram feridas.

"Combatentes do Estado Islâmico realizaram um ataque armado nesta manhã tendo como alvo estrangeiros e forças de segurança encarregadas de protegê-lo na capital indonésia", afirmou Aamaaq, agência de notícias do EI, segundo a Reuters. 

Segundo testemunhas, os ataques coordenados incluíram ao menos seis explosões e pode ter envolvido dezenas de atiradores.

Após cerca de cinco horas, a polícia declarou ter controlado a situação.

O porta-voz da polícia da Indonésia, general Anton Charliyan, disse que os ataques parecem ter copiado os atentados de novembro do ano passado em Paris.

"Eles imitaram os atos terroristas de Paris", disse ele à agência Associated Press.

O general afirmou ter recebido em dezembro informações de inteligência com um alerta de que o EI "faria um show" na Indonésia. 

O presidente do país, Joko Widodo, chamou de "atos terroristas" os ataques, que tiveram como alvo sobretudo um café Starbucks próximo a várias agências da ONU e embaixadas.

A rede internacional Starbucks anunciou o fechamento "até nova ordem" de todos os cafés em Jacarta.

"Esta unidade e todos os outros Starbucks de Jacarta permanecerão fechados, por precaução, até novo aviso. Acompanhamos de perto a situação", anunciou o grupo em um comunicado divulgado em sua sede em Seattle, Estados Unidos.

A primeira detonação aconteceu por volta do meio-dia local, e tinha como alvo um posto de polícia, segundo a emissora local "DetikTv". Após a explosão, teve início um intenso tiroteio que foi seguido por mais explosões.

Segundo o jornal "Kompas", os disparos atingiram várias pessoas, por isso o número de vítimas pode aumentar.

País em alerta

A polícia anunciou recentemente que desbaratou um atentado suicida planejado para a noite de Ano Novo em Jacarta por supostos extremistas, alguns deles vinculados ao grupo Estado Islâmico (EI).

A polícia pediu aos moradores que se mantenham em suas casas e se afastem das janelas.

A Indonésia estava e permanece em alerta para possíveis ataques terroristas contra as autoridades locais e lugares frequentados por estrangeiros. O país tem a maior população muçulmana do mundo, 88% de seus 250 milhões de habitantes, e já foi alvo de vários ataques de islamitas radicais.

O maior deles foi em 2002, na ilha turística de Bali, quando 202 pessoas morreram, em sua maioria turistas australianos.

O presidente indonésio pediu aos compatriotas que não se deixem vencer pelo medo.

"Não seremos vencidos por estes atos terroristas", declarou Widodo ao canal Metro TV.

Widodo pediu ainda à população que evite especulações sobre os possíveis grupos extremistas que estão por trás dos atentados e que espere os resultados da investigação policial. (Com agências internacionais)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos