EgyptAir diz que mais objetos foram encontrados em local de buscas

Do UOL, em São Paulo

A companhia aérea EgyptAir divulgou em sua conta no Twitter, nesta sexta-feira (20), que pertences de passageiros, partes de corpos, malas e assentos do A320 que sumiu ontem foram localizados na área do mar Mediterrâneo onde são realizadas operações de busca do voo MS804. Com 66 pessoas a bordo, o avião sumiu dos radares na madrugada de quinta-feira quando fazia a rota Paris-Cairo.

De acordo com a EgyptAir, ainda estão em andamento as ações no local e os objetos e restos humanos foram localizados pelo Exército e a Marinha do Egito. 

O presidente da empresa, Safwat Moslem, afirmou à TV egípcia que as buscas são realizadas em um raio de 64 km, que poderá ser ampliado, se necessário, conforme informações da Reuters. 

Mais cedo, o Ministério da Defesa da Grécia havia divulgado a localização dos objetos em um ponto a 290 km de Alexandria (Egito).

"Pouco tempo atrás, fomos comunicados por autoridades egípcias (...) sobre a descoberta de partes de corpos, um assento e bagagens, pouco ao sul de onde o sinal da aeronave foi perdido", disse o ministro da Defesa, Panos Kammenos, a repórteres em Atenas.

Kammenos disse que a Grécia não iria especular sobre as causas do ocorrido. Ele reiterou que radares gregos mostraram grandes oscilações na trajetória da aeronave antes do sumiço.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou hoje que "o governo brasileiro tomou conhecimento, com grande pesar, do desastre com o voo MS804 da companhia EgyptAir, que vitimou 66 pessoas, em sua maioria cidadãos egípcios".

"O Brasil transmite aos familiares das vítimas e aos governos do Egito e dos demais países que tiveram seus nacionais entre as vítimas sua solidariedade e suas condolências", diz o comunicado do Itamaraty.

Mancha de óleo no mar e suspeita de terrorismo

Um satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) detectou uma mancha de óleo no mar Mediterrâneo perto da região onde o A320 da Egyptair desapareceu dos radares.

A informação foi anunciada pela própria ESA, após as autoridades do Egito informarem terem encontrado restos mortais e objetos que podem pertencer aos passageiros e tripulantes do voo MS804.

Por ter desaparecido repentinamente dos radares, levantou-se a hipótese de que o voo pudesse ter sido vítima de um ato terrorista. Mas, por enquanto, não houve reivindicação de autoria do incidente.

O voo da EgyptAir de Paris ao Cairo desapareceu pouco depois de deixar o espaço aéreo grego e minutos após entrar no espaço aéreo egípcio. A aeronave decolou na França às 23h09, no horário local (18h09 em Brasília), com 66 pessoas a bordo (56 passageiros e dez tripulantes), em direção ao Egito.

A maioria dos passageiros, entre os quais estão dois bebês e uma criança, é de nacionalidade egípcia (30) e francesa (15).

Antes de sumir, o avião não emitiu sinais de socorro e realizou "guinadas repentinas", mergulhando no ar antes de sumir sobre o sul do Mediterrâneo.

"Às 3h39 da manhã, o curso da aeronave era sul e sudeste [das ilhas gregas] de Kassos e Cárpatos. (...) Imediatamente depois, entrou no espaço aéreo do Cairo e fez guinadas e desceu como descrevo: 90 graus para a esquerda e 360 graus para a direita", disse Panos Kammenos, ministro da Defesa da Grécia, em uma das primeiras entrevistas ontem sobre o incidente.

O A320 mergulhou de uma altitude de 37 mil pés para 15 mil pés antes de desaparecer dos radares, acrescentou. (com agências internacionais de notícias)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos