Ataque contra muçulmanos em Londres mirou liberdade religiosa, diz premiê

Do UOL, em São Paulo

A premiê britânica, Theresa May, condenou na manhã desta segunda-feira (19) o atropelamento que deixou um morto e dez feridos próximo a uma mesquita em Finsbury Park, oeste de Londres, durante a madrugada.

"Foi mais um ataque terrorista, o segundo no mês, tão doentio quanto os outros. Novamente mirou inocentes, dessa vez muçulmanos britânicos que deixavam uma mesquita onde rezavam juntos nessa época sagrada", afirmou a premiê, em referência ao mês do Ramadã.

"Foi um ataque contra muçulmanos em seu lugar de devoção. E como todo ato de terrorismo, quis nos separar. Toda a população britânica tem um laço que une liberdade de expressão, liberdade de vivermos como acharmos melhor e liberdade de praticar religião em paz. Vimos uma tentativa doentia de destruir esses laços", acrescentou May.

Segundo a premiê, este ataque contra a comunidade muçulmana "é tão insidioso e destrutivo para os valores e a forma de vida" dos britânicos como os últimos atos terroristas cometidos em Manchester e Londres, aparentemente motivados por extremistas islâmicos.

"Hoje nos unimos, como já fizemos anteriormente, para condenar este ato e indicar, de novo, que o ódio e a maldade jamais triunfarão", reiterou May.

A premiê afirmou que o ataque foi praticado por um homem de 48 anos --mais tarde a polícia corrigiu a informação, dizendo que ele tem 47 anos--, branco, que foi "bravamente contido pelas pessoas até a chegada da polícia", segundo May. Ele teria agido sozinho.

De acordo com a premiê, o Reino Unido revisará suas táticas de contraterrorismo após a onda de ataques que têm atingido o país. "Tivemos uma tolerância grande em relação ao extremismo durante os anos, e isso inclui a islamofobia", completou.

Após ler a declaração em Donwing Street, residência oficial da líder do Parlamento, May visitou a mesquita onde houve o ataque.

"Vou matar todos os muçulmanos", disse suspeito

O incidente ocorreu na área de Finsbury Park, e policiais e serviços de segurança isolaram a área. As vítimas deixavam a mesquita após evento do mês do Ramadã. Segundo o Conselho de Muçulmanos, a organização representativa de muçulmanos britânicos, o incidente ocorreu na frente da mesquita. 

Durante o Ramadã, muçulmanos praticantes visitam as mesquitas depois do Iftar, o término do jejum ao anoitecer. Uma oração é feita em torno de meia-noite. "Fomos informados de que uma caminhonete teria avançado contra fiéis quando eles deixavam a mesquita de Finsbury Park. Oremos pelas vítimas", tuitou o Conselho de Muçulmanos.

Testemunhas dizem que a multidão segurou o motorista responsável pelo atropelamento até que a polícia chegasse. Ele teria acelerado a van antes de atropelar a multidão. "Não foi um acidente. Eu vi tudo, As pessoas ficaram gravemente feridas. O motorista da van tentou escapar, mas as pessoas o seguraram. Ele não disse nada", afirmou  Boubou Sougou, citado pelo jornal britânico "The Guardian".

"Nós vimos muitas pessoas gritando e muitas pessoas feridas", disse David Robinson, 41, que chegou logo após o acidente, à AFP. Um homem identificado como Saleh Alamoudi disse ao Buzzfeed que teria ouvido o motorista dizer "Vou matar todos os muçulmanos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos