Lavagem cerebral? TV põe o spinner como "inimigo público" na Rússia

Colaboração para o UOL

  • Reprodução

A Rússia já tem candidato a novo inimigo nacional, e não estamos falando de países concorrentes ou brigas territoriais: é o fidget spinner, ou spinner de dedo. O brinquedo que virou moda e conquistou crianças pelo mundo inteiro é, de acordo com o canal Rossiya 24, nada mais que um plano dos Estados Unidos para alienar jovens russos e juntar dinheiro para ações contra o governo do presidente Vladimir Putin.

A reportagem do Rossiya 24 dá alguns fatos para tentar mostrar que, ao invés de um simples brinquedo que promete com seu giro sem sentido desestressar o usuário (uma evolução das antigas bolas anti-estresse) ele seria parte de um plano maior. Entre as provas estaria o fato de que toda a embalagem do brinquedo está em inglês. "Nenhuma palavra em russo", diz o repórter responsável pela matéria.

"É um mistério por que isto se tornou tão popular na Rússia. Quem está promovendo está moda para o povo tão intensamente?", pergunta.

O conteúdo, de acordo com o jornal "The New York Times", que investigou a paranoia russa, seria o alto número de jovens em protestos contra o governo convocados pelo ativista anticorrupção, Aleksei A. Navalny. Os russos não discordam: a matéria mostra um jovem vendendo spinners pela internet sob o slogan: "spinners para Navalny".

"De alguma maneira, nossa oposição está atraindo a juventude", diz para a Rossiya 24 o editor-chefe do site pró-Putin, Ruslan Ostashko. "Aqueles que entendem tecnologias políticas sabem muito claramente que esta coisa simples é controle de massas", completa.

Para quem achava que tudo isso não passaria de teoria da conspiração, a agência de proteção ao consumidor da Rússia, a Rospotrebnadzor, prometeu investigar os spinners, segundo anunciou na última terça-feira.

"Tem havido uma agressiva promoção dos chamados 'spinners' entre criança e adolescentes na Rússia. Levando em consideração a ansiedade entre a comunidade de pais e professores, a Rospotrebnadzor, em cooperação com instituições de saúde infantil, vai estudar possíveis efeitos do brinquedo entre as crianças, incluindo impactos negativos", disse a agência em um comunicado.

Navalny aproveitou a repercussão para rir do governo: postou um vídeo girando um spinner, esperando o veredito em um processo recente que sofreu.

Fora das fronteiras

O brinquedo faz sucesso semelhante nos Estados Unidos e na Europa, onde também sofreu sanções. Na Alemanha, o governo apreendeu recentemente 35 toneladas de spinners sob a alegação de que ele pode ser perigoso para crianças pequenas e que não possuiu a marca da Conformidade Europeia (CE), indicando que se produto cumpre ou não as regras necessárias da legislação da UE.

No Brasil, o spinner também é uma moda. O produto é facilmente encontrado de lojas de brinquedo até camelôs nas principais ruas comerciais do país. Jogadores de futebol como Neymar e Ronaldinho Gaúcho já postaram vídeos brincando com ele.

O spinner, ao contrário do que possa parecer, não é algo novo. Foi criado há mais de 20 anos americana Catherine Hettinger. Em 2005 ela não conseguiu renovar a patente e a perdeu, não recebendo nada atualmente pelo brinquedo. Hoje eles são fabricados em massa em países como China e Taiwan.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos