Trump pediu que presidente mexicano parasse de dizer que não pagaria pelo muro, mostram transcrições

Do UOL, em São Paulo

  • Yuri Cortez/AFP

    Peña Nieto e Trump se encontraram durante a campanha presidencial do republicano

    Peña Nieto e Trump se encontraram durante a campanha presidencial do republicano

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pressionou o presidente do México, Enrique Peña Nieto, para que parasse de dizer publicamente que não financiaria o polêmico muro na fronteira, revelou nesta quinta-feira (03) o jornal americano "The Washington Post".

O veículo teve acesso à transcrição da conversa do dia 27 de janeiro, logo após a posse de Trump. Na conversa telefônica, o presidente americano teria deixado claro ter consciência de que as verbas para a construção teriam que partir de outras fontes, e não da Cidade do México, mas teria ameaçado interromper o contato com o país caso Peña Nieto continuasse fazendo declarações desafiantes.

A transcrição da conversa com Peña Nieto, especificamente, foi produzida pela própria equipe da Casa Branca, afirmou o "Washington Post". 

 "Você não pode dizer isso [que o México não pagará pelo muro] à imprensa", afirmou Trump repetidas vezes durante um telefonema com o presidente mexicano em 27 de janeiro passado, o primeiro após assumir a Casa Branca. 

O financiamento "vai dar certo de alguma forma", disse Trump, segundo a transcrição, acrescentando que "isso vai ser resolvido, e está tudo bem". No entanto, alertou: "Se você disser que o México não vai pagar pelo muro, então eu não quero mais encontrar com vocês, porque não posso viver com isso". Em vez de dizer "'não vamos pagar', poderia dizer 'vamos solucionar', que isso será solucionado de algum modo", recomendou o líder americano ao presidente mexicano, segundo o jornal. 

"O fato é que estamos vinculados politicamente porque eu disse que o México pagará pelo muro --e devo cumprir. Tenho falando isso nos últimos dois anos", disse Trump. "Bibi Netanyahu [em referência ao premiê israelense] me disse que muros funcionam", afirma em outro trecho.

Peña Nieto respondeu dizendo que o assunto está "relacionado com a dignidade do México e com o orgulho nacional" do país. "Minha posição foi e continuará sendo muito firme dizendo que o México não pode pagar por esse muro", disse o presidente mexicano, embora tenha concordado em "parar de falar sobre o muro" e "procurar uma maneira criativa de resolver esse problema".

Trump, segundo a transcrição, então oferece a Peña Nieto que a nota conjunta sobre o telefonema não mencione o muro. "Somos você e eu contra o mundo, Enrique, não se esqueça". Trump chamou o presidente mexicano pelo primeiro nome durante toda a conversa, enquanto Peña Nieno refere-se ao americano o tempo todo como "senhor presidente".

A conversa em 27 de janeiro passado ocorreu dois dias depois de uma mensagem televisiva transmitida pelo presidente mexicano em reação à decisão de Washington de construir um muro na fronteira entre os dois países e à atitude de Trump de forçar o vizinho do sul a pagar a conta.

"Lamento e condeno a decisão dos Estados Unidos de continuar com a construção de um muro que por anos nos dividiu em vez de nos unir", disse Peña Nieto na ocasião. "O México não acredita em muros. Repito o que disse outras vezes: o México não pagará por nenhum muro."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos