Topo

Hitler viveu na Colômbia após a guerra? CIA levantou pista em documento secreto

Reprodução
Cópia da foto anexada a documento de 1955 sobre a suposta presença de Adolf Hitler na Colômbia Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

31/10/2017 10h18

Uma carta secreta enviada por um agente a Washington sugere que Adolf Hitler poderia estar vivo na Colômbia após dez anos do fim da Segunda Guerra Mundial. O documento faz parte dos 2.891 documentos liberados para divulgação pelo governo dos EUA sobre o assassinato do presidente John F. Kennedy, na última quinta-feira (26).

O documento que sugere a presença de Hitler na Colômbia foi enviado no dia 3 de outubro de 1955 pelo chefe da CIA (a agência de inteligência dos EUA) em Caracas, David Brixnor. Segundo ele, um agente secreto teria recebido a informação de que Hitler estava na Colômbia com a identidade de Adolf Schrittelmayor.

No texto da carta, um agente identificado como "Cimelody-3" foi informado por "um amigo" sobre a localização de Phillipe Citroen, um ex-soldado da SS nazista, que disse que já não poderia acusar Hitler como criminoso de guerra porque já tinha se passado 10 anos desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Citroen disse ao amigo do agente Cimelody-3 que ele tinha feito uma foto com Hitller há não muito tempo, mas não mostrou a fotografia. Ele também disse que Hitler deixou a Colômbia e foi para a Argentina por volta de janeiro de 1955.

No dia 28 de setembro de 1955, o amigo do agente Cimelody-3 pegou a foto sem o conhecimento de Citroen e a mostrou ao agente secreto. Cimelody-3 não estava em condições de fazer qualquer comentário. A foto foi devolvida dias depois.

A carta foi enviada com uma cópia da foto em que se vê Citroen e um homem com a aparência de Hitler. A legenda da foto diz: "Adolf Schrittelmayor. Tunja, Colômbia, 1954".

A informação da presença de Hitler nunca pode ser confirmada pela inteligência americana.

Na historiografia oficial, Adolf Hitler cometeu suicídio, em 30 de abril de 1945, em seu bunker em Berlim.