Ataques dos EUA na Síria atingiram todos os alvos, diz Pentágono

Do UOL, em São Paulo

O ataque realizado por forças dos Estados Unidos, França e Reino Unido na Síria conseguiu atingir todos os alvos que foram estabelecidos, afirmou Dana White, porta-voz do Pentágono.

"Nós atingimos com sucesso todos os alvos", disse White, contra-atacando a versão da Rússia de que dezenas de mísseis foram interceptados. "Nós não buscamos um conflito na Síria, mas não podemos permitir violações tão graves da lei internacional."

O general Kenneth McKenzie, também presente na entrevista coletiva, afirmou que três locais que são "componentes fundamentais da infraestrutura de armas químicas do regime" foram atingidos. A operação foi "precisa, esmagadora e eficaz", completou o general, antes de afirmar que isto vai atrasar o programa sírio de armas químicas em "anos".

Leia também:

De acordo com o general McKenzie, as defesas antiaéreas da Rússia na Síria não foram utilizadas e os mísseis sírios de interceptação foram lançados quando os ataques dos três países ocidentais já haviam acabado. O Pentágono disse não estar ciente se foram atingidas vítimas civis nos ataques.

Apesar de ter danificado severamente a infraestrutura de armas químicas com os ataques, McKenzie disse que o Pentágono não descarta que o governo Assad possa usar tais armas de novo. 

Arte/UOL

"Eu diria que ainda há um elemento residual do programa sírio que ainda está lá", disse. "Eu não direi que eles não conseguirão fazer um ataque químico no futuro. Eu suspeito, no entanto, que eles pensar bastante antes de o fazerem."

Missão cumprida, diz Trump

Mais cedo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou no Twitter o ataque aéreo ocidental contra o governo sírio como "perfeitamente executado", e acrescentou "Missão Cumprida".

"Um ataque perfeitamente executado na noite passada. Obrigado à França e ao Reino Unido por sua sabedoria e pelo poder de seu excelente exército. Não poderia ter tido um resultado melhor. Missão Cumprida!" Trump disse no Twitter neste sábado (14).

Forças dos Estados Unidos, França e Reino Unido realizaram na noite desta sexta (13) ataques aéreos contra a Síria, em resposta a um suposto ataque com gás venenoso que matou dezenas de pessoas na semana passada, na maior intervenção de potências ocidentais contra o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Conselho de Segurança

A pedido da Rússia, o Conselho de Segurança da ONU se reunirá às 12h (horário de Brasília) deste sábado.

Moscou está em contato com os Estados Unidos e demais países que participaram dos ataques, informou neste sábado o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, segundo a agência de notícias RIA.

Ryabkov também disse em uma entrevista ao jornal Kommersant no sábado que Moscou estava interessada em cooperar com Washington sobre a Síria.

Combate ao terrorismo

O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse a seu colega iraniano, Hassan Rouhani, que um ataque liderado pelos EUA aumentará a determinação da Síria de "combater e acabar com o terrorismo em cada centímetro" do país, relatou a Presidência síria.

Rouhani disse a Assad que o Irã continuará a apoiar a Síria, "expressando sua confiança de que essa agressão não enfraquecerá a determinação do povo sírio em sua guerra contra o terrorismo". 

Neste sábado, a Presidência da Síria publicou, em sua conta oficial no Twitter, um vídeo de dez segundos que mostra o presidente do país entrando em seu gabinete, com a legenda 'manhã de perseverança'.

(Com agências)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos