PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Após confrontos na fronteira, morre 1º venezuelano internado em Roraima

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

27/02/2019 22h29Atualizada em 28/02/2019 09h57

O indígena da etnia pemón Kliver Alfredo Perez Rivero, 24, internado desde a sexta-feira passada (22) em um hospital público em Boa Vista, morreu hoje em decorrência de disparos por arma de fogo na região do abdômen, segundo a Secretaria de Estado da Saúde local.

Naquele dia, ele foi ferido por tiros de fuzil e foi levado em uma ambulância da fronteira em Santa Elena do Uairén, na Venezuela, para Boa Vista, com outras oito vítimas do confronto. A distância entre as duas cidades é de mais de 230 quilômetros. Na ocasião, a fronteira foi aberta temporariamente para o transporte dos feridos.

Rivero estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e não resistiu às lesões no fígado e no intestino. Em nota, a secretaria confirmou que a causa da morte foi falência múltipla dos órgãos.

Uma mulher já havia morrido no dia do confronto e era da comunidade Kumaracapay, a mesma de Rivero. Era o segundo dia de fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela, decisão tomada pelo ditador Nicolás Maduro para impedir a entrada de ajuda humanitária por Pacaraima (RR).

O Hospital Geral de Roraima ainda atende outros venezuelanos feridos, inclusive casos considerados graves pela equipe médica.

Perguntas e respostas para entender a crise nas fronteiras da Venezuela

UOL Notícias

Internacional