PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Era um avião novo em folha, diz CEO de aérea após acidente que matou 157

Nathan Lopes

Do UOL*, em São Paulo

10/03/2019 10h56Atualizada em 10/03/2019 13h43

Resumo da notícia

  • Aeronave caiu seis minutos após decolar do aeroporto de Adis Abeba, na Etiópia
  • 157 pessoas estavam a bordo: 149 passageiros e oito tripulantes; todos morreram
  • A causa do acidente ainda é desconhecida
  • A aeronave é nova e foi incluída na frota da companhia no ano passado

O CEO da Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam, disse que as manutenções de rotina nunca revelaram qualquer problema na aeronave que caiu hoje em Bishoftu, na Etiópia. "Avião novo em folha, que recebemos no final do ano passado, em novembro", disse em entrevista em inglês a jornalistas.

Um Boeing 737 MAX 8 com 157 pessoas a bordo caiu seis minutos após decolar em Adis Abeba, capital do país. A queda foi registrada a cerca de 50 quilômetros de distância do aeroporto de onde havia decolado. 

Gebremariam chegou a visitar o local do acidente e disse que este domingo é um dia triste em razão do acidente. "Não foi possível identificar se ele [piloto] estava tentando pousar", disse ao ser questionado sobre o ponto em que a aeronave caiu. Ele citou que havia fumaça quando chegou ao local.

mapa acidente - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Segundo o executivo, o piloto do avião chegou a receber autorização para voltar ao aeroporto de Adis Abeba após ter avisado a torre de controle sobre problemas técnicos. "Nós não sabemos a causa do acidente. Vamos ter que esperar pela investigação", disse.

Gebremariam aproveitou para dizer que a companhia aérea que comanda é uma das "mais seguras do mundo".

Ethiopian é uma das maiores companhias aéreas da África. Em 2018, transportou mais de 10 milhões de passageiros. Seu último acidente havia sido em janeiro de 2010, quando um voo a partir de Beirute caiu pouco após a decolagem, matando todas as 90 pessoas a bordo.

Versão nova

O modelo Boeing 737 MAX 8 foi lançado em 2016. Trata-se da versão mais recente da família 737, a aeronave de passageiros mais vendida no mundo. Segundo a Boeing, a ocorrência de hoje na Etiópia é "monitorada de perto".

"A Boeing está profundamente triste por saber da morte dos passageiros e tripulantes do voo 302 da Ethiopian Airlines", disse a fabricante em nota. A empresa informou que uma equipe está pronta para fornecer assistência técnica necessária sobre o acidente.

O mesmo tipo de aeronave esteve envolvido em um acidente em outubro do ano passado que matou 189 pessoas na Indonésia. O avião caiu poucos minutos após decolar em Jacarta. A Boeing foi processada nos Estados Unidos por esse acidente. O gravador de dados da aeronave mostrou que o indicador de velocidade do jato havia apresentado defeitos em voos anteriores.

(Com Ansa, AFP, AP, Reuters, EFE e DW)

Errata: o texto foi atualizado
Por erro de digitação, o texto informou que o avião havia caído a cerca de 5 quilômetros de Adis Abeba. A distância correta é de cerca de 50 quilômetros. A informação foi corrigida

Internacional