PUBLICIDADE
Topo

Em persa, Trump diz apoiar protestos em Teerã e quer observadores no Irã

8.jan.2020 - O presidente dos EUA, Donald Trump, faz discurso na Casa Branca para falar dos ataques a bases norte-americanas no Iraque - Kevin Lamarque/Reuters
8.jan.2020 - O presidente dos EUA, Donald Trump, faz discurso na Casa Branca para falar dos ataques a bases norte-americanas no Iraque Imagem: Kevin Lamarque/Reuters

Marcelo Oliveira

do UOL, em São Paulo*

11/01/2020 19h58

O presidente norte-americano, Donald Trump, não comentou sobre o fato de o Irã ter admitido responsabilidade na derrubada do avião ucrianiano, mas usou o Twitter para falar sobre os protestos que irromperam em Teerã após a confissão das autoridades iranianas.

"O governo do Irã deve admitir que grupos de direitos humanos monitorem e relatem fatos in loco sobre os protestos que o povo iraniano está realizando. Não pode haver outro massacre de manifestantes pacíficos nem a internet ser derrubada. O mundo está assistindo", disse Trump.

O mandatário disse que está ao lado do povo americano e que acompanha os protestos "de perto" e que "é inspirado pela coragem" dos manifestantes.

"Eu estive ao lado de vocês desde o começo da minha presidência, e a minha administração continuará ao seu lado", tuitou Trump.

Um tuíte do presidente americano foi, inclusive, postado em persa por Trump.

Protestos sangrentos

As mortes mencionadas por Trump ocorreram em protestos realizados no Irã entre 15 e 18 de novembro do ano passado.

Segundo a Anistia Internacional, pelo menos 304 pessoas morreram durante a repressão às manifestações. Entre os mortos, segundo a organização não-governamental, estão jornalistas, estudantes e defensores dos direitos humanos.

A Anistia Internacional classificou a repressão do governo iraniano aos protestos de novembro como "implacável".

* Com a agência RFI.

Internacional