PUBLICIDADE
Topo

Isolados, espanhóis estão adotando mais cães - e ministério teme abandono

Javier Soriano/AFP
Imagem: Javier Soriano/AFP

Do UOL, em São Paulo

30/03/2020 17h26Atualizada em 30/03/2020 17h29

O Ministério do Meio Ambiente da Espanha, que está em quarentena por conta da pandemia do novo coronavírus, suspeita que os cidadãos estejam adotando cães apenas para ter uma desculpa para sair de casa. Por isso, o órgão teme que, uma vez terminado o confinamento, esses animais sejam abandonados pelos donos.

A hipótese, segundo publicado pelo Clarín, foi confirmada por alguns centros de acolhimento de animais de rua, que reconhecem ter havido um aumento no número de adoções — inclusive online — desde a decretação do estado de alerta na Espanha, no último dia 13.

"O problema é que não se sabe se essas adoções servem a interesses realmente honestos ou se são simplesmente uma desculpa para que os donos dos animais possam sair às ruas", disse o ministro do Meio Ambiente espanhol, Antonio Vercher. "É previsível que, passado este período, os animais adotados sejam abandonados", continuou.

Ele também lembra que o o ato é punível pelo artigo 337 do Código Penal da Espanha, que prevê pena de um a seis meses "àquele que abandona um animal em condições que possam colocar sua vida ou integridade em perigo".

Vercher ainda pede que as autoridades locais fiscalizem esse tipo de comportamento "de maneira que estejam em condições de informar o Ministério do Meio Ambiente sobre a realização desse tipo de abandono, facilitando, com isso, a aplicação do Código Penal", de acordo com o Clarín.

Para o ministro, essa integração entre órgãos locais e o governo também permitirá adotar estratégias futuras, caso uma pandemia similar aconteça novamente. Além disso, os dados podem ser utilizados em comparação entre a Espanha e os países da União Europeia ou "qualquer outro campo em que seu uso possa ser relevante".

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Coronavírus