PUBLICIDADE
Topo

Iraque suspende Reuters após agência questionar números da covid-19 no país

Clérigo tem temperatuda medida no aeroporto de Najaf, no Iraque, após desembarcar de voo procedente do Irã - Alaa Al-Marjani/Reuters
Clérigo tem temperatuda medida no aeroporto de Najaf, no Iraque, após desembarcar de voo procedente do Irã Imagem: Alaa Al-Marjani/Reuters

Do UOL, em São Paulo

03/04/2020 18h09Atualizada em 03/04/2020 18h13

A Comissão de Comunicação e Mídia (CMC) do governo do Iraque decidiu suspender por três meses o trabalho da agência de notícias Reuters no país. O veículo questionava os números divulgados pelos órgãos oficiais sobre mortes e casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus.

A Reuters também foi multada em 25 milhões de dinares iraquianos (cerca de R$ 112 mil), segundo publicado pelo jornal britânico The Guardian. A CMC também espera um pedido de desculpas por parte da agência por "colocar a segurança da sociedade em risco".

A agência de notícias alega ter "múltiplas fontes" que confirmam que o governo iraquiano está subnotificando as mortes e casos de covid-19 no país. O Ministério da Saúde nega.

Segundo os números oficiais, o país soma 54 mortes e 820 casos confirmados. A Reuters, porém, reporta que seriam entre 3 mil e 9 mil casos.

Questionado pela agência, o porta-voz do Ministério da Saúde iraquiano, Saif al-Badr, disse apenas que "a informação está incorreta", segundo divulgado pela emissora Al Jazeera.

Ao Guardian, a Reuters afirmou que ainda não recebeu nenhuma notificação do governo do Iraque e está buscando esclarecimentos sobre a suspensão. A agência sustenta as acusações de subnotificação.

Coronavírus