PUBLICIDADE
Topo

Equipe de TV é atingida por disparos de pimenta da polícia em ato por Floyd

Repórter é atingida por disparos de balas de pimenta pela polícia de Louisville - Reprodução/Wave 3
Repórter é atingida por disparos de balas de pimenta pela polícia de Louisville Imagem: Reprodução/Wave 3

Do UOL, em São Paulo

30/05/2020 13h46

Uma equipe de TV foi alvo de disparos por parte da polícia, durante um protesto por George Floyd, homem negro morto por policiais brancos nos Estados Unidos. Profissionais da Wave 3, a repórter Kaitlin Rust e seu operador de vídeo, James Dobson, estavam em transmissão ao vivo quando foram atingidos.

Kaitlin Rust noticiava um protesto em Louisville, quando ficou frente a frente com uma linha de policiais que tentava conter manifestantes. Um deles se virou para ela e o cinegrafista e efetuou os disparos.

Rust até tranquiliza telespectadores, dizendo que são projéteis com gás de pimenta, mas não esconde o susto com a situação, enquanto os apresentadores, no estúdio, também se mostram em choque.

A emissora se pronunciou, condenando o ataque. "Nós fortemente condenamos os atos do policial da LMPD que repetidamente atirou contra nossa repórter e nosso cinegrafista, que foram corajosos de cobrir essas notícias urgentes em suas comunidades. Não há justificativa para um policial abrir fogo, mesmo que com balas de pimenta, contra jornais, em qualquer circunstância".

O canal Wave 3 também teve um carro vandalizado, por manifestantes.

Ontem, um repórter da CNN foi detido em Minneapolis, enquanto fazia uma transmissão ao vivo. A polícia alegou que ele estava em um local proibido e ele foi liberado uma hora mais tarde.

Internacional