PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Policial suspeito de matar Floyd é levado para prisão de segurança máxima

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 12h30Atualizada em 01/06/2020 14h36

Derek Chauvin, o policial que aparece no vídeo com o joelho em cima do pescoço de George Floyd, foi transferido para uma prisão de segurança máxima. A operação policial em Minneapolis terminou na morte de Floyd e motivou uma onda de protestos contra o racismo e o fascismo nos Estados Unidos.

Segundo o site TMZ e o jornal New York Post, Chauvin foi levado ontem à tarde para uma cadeia em Hennepin e, depois, alocado na prisão de segurança máxima em Oak Park Heights, em Minnesota.

"A maioria dos reclusos alojados aqui está sob custódia máxima e estreita, pois alguns presos precisam de um nível mais alto de segurança", diz um comunicado do Departamento de Correções de Minnesota.

O comissário do Departamento de Correções, Paul Schnell, disse que o xerife do condado de Hennepin que pediu a transferência do policial.

Derek foi preso na sexta-feira (29), em Minneapolis. Ele é um dos quatro policiais suspeitos de envolvimento na morte de George Floyd. E, até agora, o único acusado: por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Segundo a agência de notícias Associated Press, ao longo de 19 anos de carreira, Chauvin foi alvo de quase 20 queixas formais e duas cartas de reprimenda. A maioria foi arquivada.

Protestos continuam

Milhares de pessoas protestam há quase uma semana em várias cidades dos Estados Unidos contra o racismo e a violência policial.

Ontem, em Washington, manifestantes se reuniram em frente da Casa Branca. A polícia jogou bombas de gás nos manifestantes e a sede do governo dos Estados Unidos ficou escura, na sexta noite seguida de atos.

Na sexta-feira, Donald Trump chegou a ser levado brevemente para um bunker, um abrigo secreto da sede do governo, segundo a emissora de televisão CBS.

Internacional