PUBLICIDADE
Topo

Índia usa drones para deter maior invasão de gafanhotos em 30 anos

Moradores do Rajistão seguram gafanhotos mortos com pesticida - NurPhoto/NurPhoto via Getty Images
Moradores do Rajistão seguram gafanhotos mortos com pesticida Imagem: NurPhoto/NurPhoto via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 10h06Atualizada em 02/06/2020 13h41

Além da batalha para controlar a disseminação do coronavírus, a Índia está lutando também contra a maior invasão de gafanhotos dos últimos 30 anos.

Para controlar esses animais invasores que destroem a vegetação e lavouras inteiras, até mesmo drones e caminhões do corpo de bombeiros estão sendo utilizados para disparar pesticida nos campos.

Os enxames de gafanhotos que circulam pelo país asiático podem chegar a ter milhares de quilômetros de extensão.

Desde o início de maio, quando cruzaram o estado do Rajistão, que faz fronteira com o Paquistão, os gafanhotos já se espalharam por pelo menos cinco estados indianos.

A espécie que ataca a Índia é o gafanhoto do deserto, considerado pela Organização para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO) o mais destrutivo entre esses animais devido à sua velocidade e capacidade de se multiplicar rapidamente.

Um gafanhoto do deserto adulto é capaz de voar mais de 150 km por dia.

Segundo a FAO, os gafanhotos ganharam impulsos nos ventos de oeste que restaram após a passagem do ciclone Amphan na Baía de Bengala, que atingiu a Índia e Bangladesh em 20 de maio, matando pelo menos 90 pessoas.

Internacional