PUBLICIDADE
Topo

Jovem que filmou morte de Floyd se muda e faz terapia por trauma, diz site

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 11h16Atualizada em 02/06/2020 13h13

A adolescente Darnella Frazier, de 17 anos, está traumatizada pela repercussão do seu vídeo que registrou a morte de George Floyd, um segurança negro asfixiado por um policial branco em Minneapolis. Segundo o site americano TMZ, Darnella e sua família se mudaram temporariamente e a jovem começou a fazer terapia nos últimos dias.

O vídeo que viralizou foi feito no último dia 25. O caso então ganhou repercussão mundial e motivou uma série de protestos que seguem em curso nos Estados Unidos, chegando ao sétimo dia seguido ontem, com saques e tiroteios sendo registrados.

Apesar de o vídeo ter permitido todo um debate em torno da questão do racismo, Darnella vem sendo criticada desde que a publicação viralizou. A jovem é acusada de não intervir para tentar evitar a morte de Floyd. Além disso, também sofre com o assédio da mídia e o próprio trauma por ter testemunhado a violência.

Seth B. Cobin, advogado de Darnella, foi quem confirmou ao TMZ que a família preferiu deixar o bairro onde aconteceu o caso, já que eles moravam muito próximos ao local onde Floyd foi morto. Cobin também contou que a jovem começou a fazer terapia para lidar com o trauma, além de focar nas suas atividades escolares.

Darnella ainda tem convivido com a responsabilidade de ser a testemunha principal do caso. Ela e sua mãe se encontraram no último sábado (30) com investigadores do FBI (Departamento Federal de Investigação) e autoridades criminais locais para dar seu depoimento.

"Não é uma história fácil de se contar. Você está voltando para aquele lugar na sua cabeça e não é um jeito fácil de voltar. Foi emocionante para ela contar sua história e para todos nós ouvir", contou o advogado de Darnella sobre seu testemunho à polícia.

A jovem fez um desabafo nas redes sociais ainda na última quarta-feira (27). Ela questionou quem a acusava de ter divulgado o vídeo para atrair atenção ou ganhar dinheiro. Darnella também admitiu que teve medo enquanto filmava, por isso não pensou em intervir, e que sua ação pode evitar futuros casos parecidos como o de Floyd.

"Se não fosse por mim quatro policiais ainda teriam seus empregos, causando outros problemas", disse Darnella no Facebook, lembrando que os agentes envolvidos na morte de Floyd foram demitidos - apenas um deles está preso. "Em vez de me criticarem, me agradeçam! Porque esse poderia ser um dos seus entes queridos e você gostaria de ver a verdade também."

Internacional