PUBLICIDADE
Topo

7º dia de protestos nos EUA tem saques e tiroteios; 5 policiais são feridos

Do UOL, em São Paulo*

02/06/2020 09h39Atualizada em 02/06/2020 13h09

Os protestos antirracistas nos Estados Unidos chegaram ontem ao sétimo dia consecutivo. Milhares de pessoas foram às ruas em dezenas de cidades, como Atlanta, Nova York, Los Angeles e Washington.

As manifestações explodiram após morte do segurança negro George Floyd em uma abordagem policial, em Minneapolis, na segunda-feira passada (25). Floyd morreu depois que um policial branco o imobilizou com o joelho sobre seu pescoço. Uma autópsia pedida pela família da vítima indicou que o segurança morreu por asfixia, contrariando a versão oficial de que o segurança teria morrido devido a doenças pré-existentes complicadas pela abordagem policial.

Novamente houve confronto entre manifestantes e policiais em algumas cidades durante a noite e a madrugada. Ao menos cinco policiais ficaram feridos em tiroteios. Também houve registros de vandalismo e saques pelo país.

Ao todo, 23 estados já solicitaram apoio da Guarda Nacional para ajudar a conter as manifestações, e mais de 40 cidades decretaram toque de recolher.

Cerca de 700 pessoas foram detidas entre ontem e a madrugada de hoje por desrespeitarem a ordem para ficarem em casa.

5 policiais ficam feridos em tiroteios

Diversos tiroteios foram registrados nas manifestações de ontem. Em St. Louis, quatro policiais ficaram feridos após um tiroteio em protesto, que começou pacífico, mas terminou violento durante a noite.

Imagens publicadas nas redes sociais registraram o momento em que vários tiros são disparados. É possível ver pessoas correndo pela rua, veículos tentando fugir no local e muitos carros de polícia.

Dois foram baleados na perna, um no pé, e o quarto, no braço. Todos foram levados a um hospital e não correm risco de morte. Ninguém foi preso pelo caso.

Em Las Vegas, aos menos dois tiroteios foram registrados e um policial ficou ferido.

Também houve o registro de um atropelamento a dois policiais em Buffalo (Nova York). Um carro avançou em direção a um bloqueio policial e atingiu dois agentes, que tiveram ferimentos leves. O motorista e os ocupantes do carro foram presos.

Saque e vandalismo

Em várias cidades manifestantes incendiaram carros, quebraram lojas e promoveram saques. Em Nova York, a famosa loja de departamentos Macy's foi um dos alvos. Lojas de luxo da 5ª Avenida também foram depredadas e saqueadas.

Trump diz que vai usar Exército

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que mobilizará militares na capital para conter "os distúrbios, os saques, o vandalismo, os ataques e a destruição gratuita da propriedade".

"Estou enviando milhares e milhares de soldados fortemente armados", afirmou Trump ontem à noite, ameaçando as outras cidades com a mobilização do exército para "arrumar rapidamente o problema" se não tomarem decisões para frear os protestos.

Pouco depois de a polícia dispersar os manifestantes reunidos do lado de fora da igreja de Saint John, um edifício histórico perto da Casa Branca, danificado no domingo à noite à margem do protesto, Trump dirigiu-se ao local levando uma bíblia em uma das mãos.

(*Com agências internacionais*)

Internacional