PUBLICIDADE
Topo

Obama pede a prefeitos que revejam uso da força policial após caso Floyd

Donald Trump e Barack Obama - Win McNamee/Getty Images
Donald Trump e Barack Obama Imagem: Win McNamee/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 21h14

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu hoje em live que prefeitos repensem o uso da força policial nas cidades do país, que passa pelo 8º dia consecutivo de protestos após a morte de George Floyd em ação da polícia.

"Eu peço que cada prefeito reveja o uso da força policial e faça as mudanças que forem necessárias", afirmou Obama, que citou ainda um relatório que propõe reformas na polícia.

Segundo o ex-presidente, "vários prefeitos e outras autoridades eleitas" leram o projeto, "mas depois disso, não houve empenho o bastante" para mudanças.

Obama, em seu depoimento, também apoiou os jovens negros que têm "testemunhado muita violência" pelas autoridades ao longe de tanto tempo.

"Vocês devem ser capazes de aprender e cometer erros e viver uma vida de alegria sem se preocupar com o que vai acontecer se você sair para uma loja, sair para fazer uma corrida, se estiver dirigindo pelas ruas ou observando pássaros no parque", declarou.

Floyd morreu depois que um policial branco, Derek Chauvin, o sufocou com o joelho por quase oito minutos. O incidente foi capturado em vídeo por um espectador.

O procurador-geral de Minnesota, Keith Ellison, responsável pela acusação no caso, vai pedir que Chauvin seja acusado de assassinato em segundo grau.

Chauvin foi transferido para uma prisão de segurança máxima. Derek foi preso na sexta-feira (29), em Minneapolis. Ele é um dos quatro policiais suspeitos de envolvimento na morte de Floyd. E, até agora, o único acusado: por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Segundo a agência de notícias Associated Press, ao longo de 19 anos de carreira, Chauvin foi alvo de quase 20 queixas formais e duas cartas de reprimenda. A maioria foi arquivada.

Milhares de pessoas protestam há quase uma semana em várias cidades dos Estados Unidos contra o racismo e a violência policial. A revolta provocada pela morte de Floyd se propagou por todo o país.

Internacional