PUBLICIDADE
Topo

Pai de 800 filhotes, tartaruga Diego sai do cativeiro após 'salvar' espécie

15.jun.2020 - Tartaruga Diego sai do cativeiro após ajudar a salvar espécie com seu "apetite sexual" na Ilha Espanhola, parte do Arquipélago de Galápagos - Reprodução/Twitter
15.jun.2020 - Tartaruga Diego sai do cativeiro após ajudar a salvar espécie com seu 'apetite sexual' na Ilha Espanhola, parte do Arquipélago de Galápagos Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

15/06/2020 18h22Atualizada em 15/06/2020 18h25

Quinze tartarugas gigantes enfim retornaram ao seu habitat natural — a Ilha Espanhola, uma das que compõem o Arquipélago de Galápagos, no Equador. Os animais passaram décadas em cativeiro para se reproduzir e ajudar a salvar a espécie, que corria risco de extinção. Diego, considerado um "sex symbol" e grande responsável pelos novos filhotes, está neste grupo de tartarugas.

"Encerramos um importante capítulo na gestão do Parque Galápagos. Quinze tartarugas de Espanhla, incluindo Diego, voltaram para casa depois de décadas se reproduzindo em cativeiro e salvar sua espécie da extinção. Sua ilha as recebe de braços abertos", anunciou o ministro do Meio Ambiente do Equador, Paulo Proaño Andrade.

Diego, que viveu seus primeiros 30 anos no Zoológico de San Diego, nos Estados Unidos, ficou famoso após ter sido transferido para o programa de reprodução de tartarugas em cativeiro em Galápagos. O projeto cresceu significativamente depois de sua chegada, e estima-se que 40% das tartarugas repatriadas (cerca de 800) sejam suas descendentes, segundo o jornal El Universo.

"Ele contribuiu com uma grande porcentagem da linhagem que estamos devolvendo a Espanhola", afirmou Jorge Carrion, diretor do Parque Nacional de Galápagos, à agência France Presse. "Estamos felizes com a possibilidade de devolver essa tartaruga a seu habitat natural."

O programa foi considerado bem-sucedido, produzindo mais de 2 mil tartarugas gigantes desde seu início, ainda nos anos 1960, e o apetite sexual de Diego foi crucial para isso: cerca de 60 anos atrás, sobravam apenas dois machos e 12 fêmeas de sua espécie em Espanhola.

Ele se "aposentou" em janeiro, já com mais de 100 anos.

Diego é um Chelonoidis hoodensis, espécie encontrada na natureza apenas nesta ilha ao sul do arquipélago de Galápagos, no Pacífico. O local, a 900 quilômetros da costa do Equador, ficou famoso mundialmente por ter sido palco de estudos do naturalista inglês Charles Darwin, autor da Teoria da Evolução, graças a sua grande e peculiar biodiversidade.

*Com AFP

Internacional