PUBLICIDADE
Topo

Trump defende casal que apontou armas para manifestantes antirracismo

28.jun.2020 - O casal Mark e Patricia McCloskey aponta armas contra manifestantes antirracismo em St. Louis, nos EUA - Reprodução/Twitter
28.jun.2020 - O casal Mark e Patricia McCloskey aponta armas contra manifestantes antirracismo em St. Louis, nos EUA Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

16/07/2020 11h47Atualizada em 16/07/2020 12h05

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu o casal de St. Louis que apontou armas para manifestantes do movimento Black Lives Matter (vidas negras importam, em tradução livre) que faziam uma passeata em protesto contra o racismo.

Em uma entrevista publicada hoje pelo site conservador 'Townhall", Trump afirmou que Mark e Patricia McCloskey poderiam ser "linchados" e que é uma "desgraça" tentarem acusá-los de crime.

"Se eles tivessem sorte, seriam linchados e a casa seria totalmente revirada e provavelmente incendiada como eles tentaram fazer com igrejas. E essas pessoas [o casal] nunca usaram e as armas eram legais. Agora, eu fico sabendo que alguém lá quer acusá-los, é uma desgraça", declarou.

Imagens de Mark e Patricia McCloskey, um casal de advogados bancos, apontando armas —uma delas um rifle— em frente à sua casa para manifestantes que protestavam contra o racismo, no final de junho, gerou revolta entre grupos que defendem a igualdade.

Eles tiveram as armas apreendidas e podem responder judicialmente pelo ato, pois há uma lei estadual que proíbe o uso de armas letais para praticar ameaças e ofensas a outras pessoas.

Governador diz que Trump pode intervir

Na última terça-feira (14), o governador de Missouri, Mike Parson, afirmou que conversou por telefone com Trump e que o presidente disse que "faria tudo em seu poder para ajudar nessa situação".

"Conversei com o presidente e ele disse que faria o possível em seu poder para ajudar com essa situação, ele estaria tomando uma atitude. Sou grato que ele esteja se envolvendo com esta situação. Sou grato que ele faça algo por pessoas em seus direitos", declarou o governador em uma coletiva de imprensa.

Na ocasião, Parson, que é do mesmo partido de Trump (Republicanos), também defendeu o casal e disse eles tinham todo o direito de protegerem sua propriedade.

"Aquele casal tinha todo o direito de defender sua propriedade. Eles tinham habilidade para isso como cidadãos, como qualquer outro. O que eles não deveriam estar enfrentando é uma procuradora tentando tirar seu direito constitucional com acusações contra eles por defenderem sua propriedade", afirmou.

Internacional